GBOEX aposta na TI caseira

09/12/2011 15:39

No GBOEX, porto-alegrense focado em previdência, planos de pecúlio, seguros pessoais e empréstimo consignado com faturamento de R$ 154 milhões em 2010, a TI é feita em casa.

O time de 43 profissionais da área – dos quais 13 são desenvolvedores - é responsável por todos os sistemas de administração da casa, em uma estratégia que reduz a menos de 3% da receita os custos com o setor.

Luís Felipe Albert Nunes, diretor de Sistemas do GBOEX

Tamanho da fonte: -A+A

No GBOEX, porto-alegrense focado em previdência, planos de pecúlio, seguros pessoais e empréstimo consignado com faturamento de R$ 154 milhões em 2010, a TI é feita em casa.

O time de 43 profissionais da área – dos quais 13 são desenvolvedores - é responsável por todos os sistemas de administração da casa, em uma estratégia que reduz a menos de 3% da receita os custos com o setor.

Conforme o diretor de Sistemas da empresa, Luís Felipe Albert Nunes, os únicos softwares de terceiros são os que estão na base para o desenvolvimento interno: a plataforma Micro Focus Express, que em breve será migrada para .Net, e o banco de dados IBM DB2.

A aposta na TI interna foi feita em 2005, quando Albert chegou à GBOEX e encontrou um quadro de migração do sistema administrativo.

A empresa usava uma plataforma em mainframe e cogitava adotar um sistema cliente-servidor.

“Havia dificuldades relativas a defasagem tecnológica, ao atendimento de demandas específicas do core business, e sugeri fazermos nosso próprio sistema corporativo de previdência, um ERP que desde então atende a todas as nossas áreas”, comenta o diretor.

O desenvolvimento começou nos primeiros meses de 2006 e o sistema foi entregue em abril de 2007.

“Muito menos tempo do que levaria a implantação de um sistema de mercado”, comemora Albert. “Isso sem falar na aderência aos processos: nosso sistema é sob medida”, completa.

Hoje, o ERP atende a departamentos como jurídico, contábil, administrativo, de pessoal, pagamentos e carteira, tudo com acesso online para cerca de 270 usuários diretos.

“O acesso pela internet permite à diretoria de Sistemas fornecer suporte técnico remoto às nossas 25 unidades de negócios, localizadas nas principais cidades do país, através do help desk”, destaca Albert.

Menos gastos, mais performance
Além da economia com suporte técnico, o desenvolvimento interno também elimina os gastos com licenciamento ou qualquer outra modalidade de contratação de software, salienta o diretor.

Por exemplo: ao longo de 2011, a equipe de TI trabalhou em otimizações do ERP, como inovações nos sistemas jurídico, contábil, financeiro e do SAC, que não exigiram qualquer desembolso em projeto e já estão 100% disponíveis.

Segurança, qualidade e conformidade
Há, ainda, a questão da segurança: com base em regras e metodologias de governança e qualidade de software, como ITIL e CMMI, o GBOEX também aplica políticas de proteção de dados e processos que garantem controle, minimizam riscos e otimizam aproveitamento e desempenho de recursos.

Novos investimentos
Já em andamento, está previsto para ser entregue no início de 2012 um sistema de controle de acessos desenvolvido pela TI do GBOEX.

No ano que vem, o time também vai desenvolver um BI, o que vai exigir também investimento na expansão da infraestrutura de servidores, que hoje soma máquinas IBM e Dell no data center localizado na sede, em Porto Alegre.

A empresa
Prestes a completar seu centenário, o GBOEX atende a uma carteira de aproximadamente 200 mil associados, empregando 340 colaboradores diretos.

Além de comercializar planos de pecúlio, seguros de pessoas, previdência complementar e empréstimo consignado, a empresa também conta com uma rede credenciada de prestação de serviços diversos, por meio de convênios.

Veja também

Coopertec: Avaya para GBOEX
A Coopertec acaba de fechar um contrato com o Grupo GBOEX - Confiança para fornecimento de soluções de contact center e telefonia IP da Avaya.

O projeto prevê a instalação do Avaya IPO500, sistema de comunicação modular e híbrido baseado em telefonia IP e TDM, além da interligação de 33 sedes externas do GBOEX, para que estas se comuniquem com a matriz através do link de dados.
Lexmark: US$ 127 mi com previdência dos EUA

A Administração da Previdência Social (SSA) dos Estados Unidos assinou um contrato de US$ 127 milhões com a Lexmark para o fornecimento, por cinco anos, de impressoras laser monocromáticas e coloridas, além de multifuncionais.

Os equipamentos serão usados por mais de 62 mil funcionários distribuídos nos 1,5 mil escritórios da SSA nos EUA e em outros países.

O contrato também inclui garantia de cinco anos para todos os equipamentos e acessórios fornecidos.

Aplub: R$ 1,5 mi em ERP próprio

Na sexta-feira, 11, a Aplub virou a chave para um novo ERP, o SGA – Sistema de Gestão da Aplub.

O software foi desenvolvido internamente, em um projeto de R$ 1,5 milhão que exigiu, nos últimos três anos, o trabalho de dez colaboradores, dedicados ao projeto durante 160 horas/mês.

O sistema, criado sobre plataforma .Net, SQLServer e ferramentas Microsoft,substitui o Plenus, programa de gerenciamento interno que a companhia utilizava há cerca de 20 anos sobre mainframe da Unisys.

Aplub: rede própria para profissionais liberais

O Grupo Aplub acaba de lançar uma rede social própria, focada em profissionais liberais universitários.

A meta é atingir 500 mil cadastrados nos primeiros seis meses da ferramenta, batizada de Comunidade Aplub.

A rede social é voltada a funcionar como um espaço de comunicação e fomento de negócios entre os profissionais da categoria.