A Motorola, que no mês passado foi processada pela Microsoft por quebra de patentes, acaba de contra-atacar a desenvolvedora das plataformas  Windows, acusando a empresa de quebrar 16 de suas tecnologias registradas.

Em outubro, a Microsoft acusou a Motorola de infringir nove patentes em smartphones baseados na plataforma Android, do Google.

Também no início de outubro a Motorola processou a Apple por quebra de 18 patentes.

Segundo a agência Reuters, a unidade Motorola Mobility afirmou que a quebra de patente está relacionada a diversas funções de softwares para computadores e servidores da Microsoft, além do Windows para dispositivos móveis e do videogame Xbox.

O movimento ocorreu logo após a Microsoft acusar a fabricante de equipamentos de telecomunicações de cobrança excessiva de royalties sobre a tecnologia de rede utilizada no software do Xbox.

"Infelizmente a Microsoft escolheu o caminho judicial em vez de iniciar negociações quanto ao licenciamento", afirmou o vice-presidente de propriedade intelectual da Motorola, Kirk Daily, em comunicado.

Conforme o site CRN, a Microsoft ainda está analisando o processo da Motorola, e considera este tipo de movimentação comum num ambiente de litígio sobre patentes.

"Isso é típico e não nos surpreende. Continuamos confiantes na nossa defesa e manteremos nossas queixas contra (a Motorola)”, disse Horacio Gutierrez, vice-presidente corporativo da Microsoft.