A E-Net Security, de Curitiba, acaba de lançar no mercado brasileiro o  Detector de Pornografia, um pen drive com software embarcado que promete captar 95% das imagens pornográficas baixadas da Internet em um computador, mesmo que elas tenham sido apagadas.

Desenvolvido no religioso estado americano de Utah pela Paraben Corporation é destinado a famílias e empresas e usa uma série de algorítimos capazes de analisar detalhes como tonalidade de peles, formas e curvaturas, imagens de rostos e partes do corpo, entre outras coisas.

“Estamos negociando com quatro grandes cadeias varejistas”, revela  Wanderson Castilho, diretor da E-Net Security. A expectativa do empresário é vender 10 mil unidades em 2010, uma projeção que representa faturamento mínimo de R$ 5,5 milhões com a solução, que tem preço sugerido de R$ 550.

Castilho concorda que o preço pode se tornar um “dificultador na aquisição”, mas garante que o problema será contornado por uma estratégia de parcelamento junto aos distribuidores. No momento, o  Detector de Pornografia – que funciona em XP, Vista ou Windows 7 -  está disponível no site da companhia.

O diretor da  E-Net enfatiza a simplicidade de uso e a relevância do produto para pais ciosos do que os filhos acessam na web ou recebem em conversas online e empresas que desejem controlar os sites acessados pelos funcionários em horário de trabalho.

A E-NetSecurity é especialista em segurança e tem um ficha respeitável na área de investigações digitais, com mais de 400 casos resolvidos, envolvendo roubo de informação, calúnia, difamação, espionagem industrial e vazamento de informações, entre outros.