A HP decidiu abrir seu sistema operacional móvel webOS a programadores e companhias, buscando ganhar força para enfrentar a plataforma gratuita Android, do Google.

Parte integrante da Palm, comprada pela HP em 2010 por US$ 1,2 bilhão, o webOS faz parte da tentativa fracassada de entrada da empresa no mercado de tablets e smartphones.

O tablet Touchpad foi abandonado pela empresa após dois meses de oferta no varejo.

Meg Whitman, presidente-executiva da HP, disse que a empresa estava estudando diversas opções para o webOS, entre as quais, fechar ou vender a divisão. Venceu o meio termo.

Agora, a companhia oferecerá o webOS sob um acordo de licenciamento de fonte aberta, mas ainda não definiu os termos do contrato que planeja oferecer.

Segundo a agência Reuters, alguns projetos de fonte aberta podem ser usados como exemplo para definir a estrutura de licenciamento, entre eles, o Android e o navegador Mozilla.

A empresa planeja solicitar sugestões a programadores antes de fechar os termos.

“Nós gostamos da adoção do Android. Ele vem crescendo velozmente junto a uma grande comunidade de programadores e fabricantes de hardware”, disse Whitman, acrescentando que a HP gostaria de evitar a fragmentação de software que prejudica o Android no momento.

Whitman também afirmou que a HP pode voltar ao mercado de tablets em 2013, mas que não fabricará novos celulares inteligentes.

Embora o Google tenha o sistema móvel mais usado do mundo, com 550 mil aparelhos ativados a cada dia, o webOS pode servir como alternativa a empresas apreensivas com a possibilidade de que o gigante das buscas na Web concorra com elas diretamente no mercado de smartphones, depois da aquisição da Motorola Mobility por US$ 12,5 bilhões, pondera a Reuters.