A Randon Implementos adotou o Elipse E3, solução de supervisão e controle da porto-alegrense Elipse Software, em sua fábrica de Caxias do Sul.

Com o software, a companhia passou a controlar os sistemas da fábrica remotamente e em tempo real.

No projeto, o desenvolvimento e implementação do supervisório foram realizados por uma equipe interna de automação industrial da Randon.

Com a nova solução, os usuários da empresa caxiense podem controlar, por exemplo, o sistema de lubrificação dos equipamentos, criar e editar programas e receitas, além de monitorar parâmetros de solda.

Os aparelhos de ar condicionado de diversas áreas também são controlados pelo E3, que permite monitorar o status, temperatura e umidade assinalada em cada uma das salas, assim como a hora total de seu funcionamento, para que seja possível controlar as manutenções preventivas.

O mesmo controle é válido para os compressores de ar da fábrica.

Além disso, a solução automatizou a estação de tratamento de efluentes industriais e cloacais da Randon.

Agora, o software emite um histórico do funcionamento das estações, exibindo as medições dos níveis das caixas de efluentes a cada cinco minutos.  

Outra função monitorada pelo E3 é o sistema de abastecimento da água da fábrica de carretas.

Com a solução, os usuários podem verificar a entrada de água na unidade de produção, controlar os níveis de armazenagem nas caixas d’água, bombas e válvulas para manutenção preventiva e corretiva.

Além disso, a empresa caxiense também utiliza o software da Elipse para coibir o aparecimento ou agravamento de falhas sobre equipamentos ou processos automatizados, por meio do sistema de controle de alarmes da ferramenta.

Com esta função, os operadores têm acesso a informações referentes a qualquer ocorrência que possa prejudicar processos de fabricação de carretas ou infraestrutura.

TI em alta
Na Randon, os investimentos em TI são corriqueiros.

Em fevereiro deste ano, por exemplo, a companhia divulgou um projeto de outsourcing da gestão de infraestrutura de TI com a Tivit.

Pelo contrato, a Randon terceirizou com a fornecedora a operação de todos os componentes necessários para suporte do novo ERP SAP, que está em implantação no conglomerado de Caxias do Sul.

A previsão do grupo é de concluir a implantação do ERP – realizada pela própria SAP - em outubro deste ano, mês em que a Tivit deverá assumir também a gestão de infraestrutura de mais 80 sistemas legados.

O conglomerado gaúcho, que controla oito negócios nos segmentos de implementos rodoviários, ferroviários, veículos especiais, autopeças, sistemas automotivos e serviços, definiu a escolha do SAP ainda no fim de 2009, quando utilizava dois ERPs: o Baan, da Infor, e uma solução Datasul em uso somente na Fras-le.

Conforme declarou, na época, o Gerente de Tecnologia da Informação das Empresas Randon, Carlos Roberto Nascimento, com o contrato de outsourcing fechado junto à Tivit a equipe de TI da companhia gaúcha terá mais tempo para focar no próprio negócio do conglomerado.

Outro benefício do contrato, que tem duração de sete anos, é a aquisição de hardware e software básico como serviço, além da gestão do ambiente SAP a partir de dois data centers, sendo um de disaster recovery, garantindo segurança e escalabilidade.

Neste contrato, segundo o CIO, a única preocupação da TI da companhia caxiense será a gestão dos SLAs.

Soficom
Antes disso, em dezembro de 2010, a Randon também havia divulgado a contratação do Soficom, software da paranaense Pelissari que funciona integrado ao SAP para a obrigações fiscais não suportadas pelo ERP.

Junto ao software de gestão, o Soficom permite congregar os dados fiscais de todas as unidades do grupo e, com isso, a meta é alinhar informações, eliminar gargalos e otimizar o processo de  planejamento tributário das divisões de negócio.

Além disso, como funciona no mesmo ambiente do ERP, a solução da Pelissari eliminou a necessidade de investimento em hardware adicional ou no desenvolvimento de interfaces.

A integração do Soficom ao SAP fez parte de um projeto de internacionalização da Randon, que conta com aproximadamente dez escritórios comerciais no exterior, além de unidades fabris no Brasil, em Caxias do Sul e Guarulhos; na Argentina, Estados Unidos e China.

Além das nove companhias do grupo, a integração do sistema de gestão empresarial inclui as operações do centro de serviços compartilhados da Randon, a ser implementado em Caxias do Sul.

Nova divisão, mais TI
Outro investimento realizado pelo grupo em TI ocorreu em setembro do ano passado, quando entrou em operação o Banco Randon, divisão focada no atendimento à cadeia de fornecedores e clientes das empresas da holding caxiense.

Para iniciar as atividades, a corporação adotou o SPB/x, da C&M Software, como solução de acesso ao Sistema de Pagamentos Brasileiro.

O software permite a instituições financeiras como bancos, corretoras de câmbios e valores realizar suas atividades em compatibilidade com todas as normas do Banco Central.

A C&M processa todas as transações de SPB dos usuários da solução, liberando-os para cuidar exclusivamente de seus negócios-foco.

O Banco Randon atua na oferta de produtos de financiamento, como Finame e CDC.

A instituição tem autorização de operação para banco multiplo com carteira comercial, e, por consequência, tem a obrigatoriedade de operar no SPB.

Responsável pela solução que garante esta conformidade, a C&M tem matriz em Alphaville e filial no Rio de Janeiro.

Desde 2001, é a única instituição não-financeira a estar presente na RSFN (Rede do Sistema Financeiro Nacional).

Novo produto, mais TI ainda
E não para por aí: recentemente, a Randon apostou na Internet para lançar um novo produto, o Graneleiro Randon Linha R.

A ação contou com hotsite criado pela agência digital Perverte, trazendo o graneleiro em modelo 3D, que pode ser visto em 360 graus.

O portal, que pode ser acessado pelo link abaixo, também traz uma seção de vídeos e de downloads do produto para os clientes.

TI unificada
Hoje, a TI da Randon é unificada - até cerca de dois anos atrás, era comandada por cada empresa do grupo em separado.  

Em fevereiro de 2009, as operações foram integradas, o que envolveu data centers, sistemas e outras estruturas.

Hoje, toda a equipe de TI fica na sede do grupo, em Caxias.

Resultados positivos
A Randon fechou o primeiro trimestre de 2011 com receita bruta de R$ 1,46 bilhão, alta de 24,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

A receita líquida consolidada ficou em R$ 953,9 milhões, crescimento de 21,9% ano/ano; e o lucro, em R$ 66,8 milhões, expansão anual de 67,5%.

Já em relação ao Ebitda, a elevação foi de 25,8%, somando R$ 145,8 milhões.