O presidente da Microsoft para América Latina, Hernán Rincón, criticou a decisão de alguns governos da região - especialmente o Brasil - de incentivar a adoção de software livre nos serviços públicos e sistemas educacionais.

Para o executivo, a opção pela plataforma aberta significa que os governos precisam investir também em desenvolvimento de serviços e aplicativos, informa o IDG Now!

Rincón defende que o governo não interfira no papel do setor privado, ao qual, segundo ele, caberia o desenvolvimento de software.

O presidente também afirmou que os sistemas open source não incentivam a inovação e o empreendedorismo, além de afirmar que desconhece qualquer empresa que use como modelo de negócios este tipo de desenvolvimento de aplicativos, em que é preciso liberar o código.

Para finalizar, o executivo também alfinetou a nova onda de ofertas de cloud computing, alegando que a concorrência alardeia muito este tipo de oferta, mas que a Microsoft já conta com estes serviços há 16 anos, com o Hotmail.

Mais: segundo Ramón, concorrentes como o Google, por exemplo, só falam de cloud porque é só o que têm a oferecer, enquanto a MS pode atuar também desde o modelo de software pago e controlado até o SaaS.

A matéria do IDG Now! pode ser conferida na íntegra pelo link abaixo.