Depois de iniciar 2008 com a inauguração do escritório em Santiago, Chile, a gaúcha Processor começa mais um ano crescendo fora do país: a companhia acaba de anunciar a abertura de uma unidade em Bogotá, Colômbia.

A empresa, que mantém sede em Porto Alegre e filiais em São Paulo e Rio de Janeiro, aposta na maturidade do mercado colombiano de infra-estrutura de TI para fomentar os negócios.

"A economia tem uma das maiores taxas de crescimento na América Latina e o país possui também um ambiente altamente favorável, conseguindo lidar com as turbulências internas com sucesso", destaca o gerente de Expansão da Processor na América Latina, André Mazeron."Temos encontrado um mercado muito receptivo que vem em acelerado processo de melhoria da infra de TI, além de possuir profissionais altamente qualificados”, acrescenta.

A abertura do escritório colombiano faz parte da estratégia anunciada pelo presidente do Grupo Processor, Cesar Leite, ainda no início do ano passado.

Na época, o executivo revelou ao Baguete - em matéria que pode ser conferida na íntegra pelo link abaixo - investimento de US$ 1 milhão para a então recém aberta unidade chilena, além de planos para chegar ao Uruguai, Peru, Colômbia, México, Estados Unidos e Europa até 2010.

A expansão, explica Mazeron, se mapeia pelos mercados demandados por projetos dos atuais clientes. "Com isso, podemos acompanhar o crescimento deles e, ao mesmo tempo, aproveitar importantes oportunidades para a prospecção de projetos locais", afirma o gerente.

Para embasar a internacionalização, a empresa gaúcha adequa suas soluções. Hoje, Processor BI, Processor CRM e Processor PSM, por exemplo, já estão disponíveis em espanhol e inglês.

Este trabalho vem sendo feito desde a entrada no Chile, segundo Mazeron, e envolveu, além do versionamento dos produtos, contratações locais e a transferência de pessoas e processos de marketing das unidades brasileiras para os novos escritórios. Além disso, os colaboradores da matriz e filiais nacionais também foram capacitados para dominar o idioma dos países onde a empresa entrou em 2009.

Ainda este ano, a ideia da companhia porto-alegrense é abrir mais uma unidade internacional. "São planos a serem anunciados em breve", destaca Mazeron.

A Processor atua como System Integrator, oferecendo serviços e soluções em BI, portais corporativos, CRM, segurança, IT Management, outsourcing, licenciamento, consultoria e suporte independentemente da tecnologia empregada: tudo é adequado conforme a demanda de cada projeto. Na carteira de clientes, nomes como Grupo Gerdau, Ipiranga, Banrisul, Metro Rio, Unimed, Randon, Microsoft e Symantec, entre outros.