Porto Alegre é a sétima cidade mais perigosa do mundo virtual da América Latina.

É o que indica uma pesquisa da fabricante de antivírus Norton, em parceria com a consultoria Sperling’s BestPlaces.

Conforme o ranking, a primeira do ranking de cidades com maior número de fatores de risco do cibercrime é Buenos Aires.

Em seguida, vêm a porto-riquenha San Juan, Bogotá e São Paulo.

O Brasil também figura no ranking com o Rio de Janeiro, que fica na quinta posição.

A lista se completa, em ordem, com Lima, Cidade do México, Monterrey e Guadalajara.

“Cidades com os maiores fatores de risco não se correlacionam necessariamente com as maiores taxas de ataques, refletindo o fato de que muitos consumidores estão tomando precauções para se manterem seguros”, consola Bert Sperling, fundador e pesquisador da Sperling’s BestPlaces.

Na análise, a consultoria levou em conta fatores que podem afetar a segurança no mundo virtual, como dados de estilo de vida, hábitos de consumo, bem como os dados dos crimes cibernéticos fornecidos pela empresa-mãe da Norton, a Symantec.

Dados como acesso a hotspots Wi-Fi, redes sociais e assiduidade de compras online e realização de serviços bancários online também foram avaliados.

O fundador da companhia de pesquisa dá três dicas básicas para quem quiser fugir dos riscos do meio online.

Primeira:sempre assumir que sua conexão Wi-Fi pode não ser segura.

“Hotspots Wi-Fi são um grande recurso em muitas cidades, mas tenha com cuidado. Não faça compras online ou transações bancárias, por exemplo, com esta conexão”, alerta Sperling.

Segunda: use senhas complexas e únicas para cada site. Nada de data de nascimento, nome, sobrenome ou dados óbvios.

Terceira: informe-se sempre sobre as páginas que pretende acessar e sobre a adoção de soluções de segurança em todos os dispositivos dos quais mantiver acesso à web.