Foto: Divulgação

A SAP vai investir cerca de US$ 500 milhões na plataforma de computação em memória Hana nos próximos meses.

Do total, US$ 155 milhões serão destinados a startups, por meio de um fundo de capital de risco a ser gerenciado pela SAP Ventures, e outros US$ 337 milhões irão para um programa de incentivo para os clientes migrarem suas bases de dados para a plataforma.

O fundo de investimentos, batizado de SAP Hana Real-Time Fund, será usado para “estimular e apoiar um ecossistema de empresários e investidores com foco no desenvolvimento de aplicações em tempo real”, segundo Hasso Plattner, presidente do Conselho de Supervisão da SAP.

O anúncio vem na esteira do primeiro SAP Startup Forum, realizado em março e que destacou 24 startups que usam o Hana.

Já o projeto de incentivo à migração leva o nome de SAP Hana Adoption Program e será dedicado a qualquer novo cliente que deseje fazer a transição de antigos bancos de dados, incluindo consultoria da SAP na implantação da solução e adoção do novo modelo.

A garantia somos nós
“Separadamente, assumimos um compromisso com os clientes do Hana que concluírem a implantação para permitir em até 18 meses um programa de troca das licenças Hana por qualquer outro produto SAP previamente licenciado, se não estiverem satisfeitos”, destaca Plattner.

De acordo com o executivo, o banco de dados in-memory do Hana permite acessar e fornecer informações em velocidades sem até 100 mil vezes mais rápidas do que soluções anteriores.

Mais
Os novos investimentos da alemã no in memory computing também reforçam a integração das operações com a Sybase, consolidando novas soluções para trabalho de dados em tempo real.

Além do Hana, estas soluções incluem os sistemas Enterprise Information Management – EIM, da linha da Sybase.

Transações e cargas de trabalho analítico também estão no páreo, com os produtos de gerenciamento e movimentação de dados da Sybase.

“Com a integração, os clientes terão recursos inéditos para transacionar, mover, armazenar, processar e analisar dados em tempo real, reduzindo custos com ferramentas de gestão de projetos e cenários”, informa Plattner.

O portfólio SAP-Sybase com foco em computação em memória reúne também soluções como SAP Sybase Adaptive Server Enterprise (ASE), opção para as aplicações SAP Business Suite; servidor SAP Sybase IQ, para análise de big data, SAP Sybase SQL Anywhere, Banco de dados integrado e móvel que deve, segundo Plattner, ser o front-end da plataforma Hana.

Mobilidade: a bola da vez

Por falar em móvel, esta é a área de maior aposta da SAP para fomentar o crescimento de seu appliance de in memory, chegando a um bilhão de usuários mundialmente até 2015.

Conforme declarou o vice-presidente de Soluções da SAP Brasil, André Petroucic, durantoe o SAP Fórum 2012, a linha de computação em memória é a chave para processamento e armazenamento da base de celulares do mundo, que hoje fica em seis bilhões.

“É um enorme mercado em potencial. E que potencial: hoje, no ambiente corporativo, o dispositivo móvel já superou o PC em análise de informação, ficando atrás dele somente em criação de dados”, ressalta o VP.

Segundo Petroucic, o Hana é o centro do plano para este setor exatamente pela demanda por banco e capacidade de processamento de dados: em testes recentes, a solução permitiu analisar e validar 400 linhas de código em um segundo.

Appliance no qual dados são compactados por software SAP e armazenados em terabytes de chips de memória RAM, em hardware fabricado pela HP, Dell, Fujitsu ou IBM, o Hana acelera em até 3,6 mil vezes o acesso aos dados, comparado a bancos relacionais tradicionais em discos de estado sólido.

O SAP Labs Latin America, centro de desenvolvimento e suporte da multinacional localizado em São Leopoldo, começou no fim do ano passado a trabalhar na localização das soluções fiscais específicas do mercado brasileiro para rodarem na plataforma.