Loja Nike criada no SW CAD 3D da TelasulFoto: Divulgação

A Telasul, indústria de móveis com divisão especializada em displays de loja ou PDVs, reduziu em 40% o tempo de criação de seus projetos com a adoção do SolidWorks CAD 3D, implantado pela leopoldense Max3D.

A companhia, que usa o software para projetar móveis e acessórios instalados em lojas como Nike e Olympikus, também adotou o SolidWorks Enterprise PDM, integrado ao ERP Focco 3i, da gaúcha Focco, usado pela empresa.

Hoje, a empresa, que tem sede em Caxias do Sul, atende a mais de cinco mil clientes, desenvolvendo, anualmente, cerca de 200 projetos sob medida.

A equipe encarregada de desenvolver e fabricar a infraestrutura física das lojas atende tanto grandes redes como estabelecimentos isolados.

Em todos os casos, o SolidWorks está na base dos projetos, segundo Giancarlo Fontoura da Silva, gerente de TI da Telasul.

“Cada loja é um projeto único, com layout completo, indicação de onde instalar araras, estantes, balcões, vitrines”, explica ele. “Além de projetar, fabricamos essa infraestrutura nos materiais, cores e formatos indicados”, completa.

Conversando com o ERP
De acordo com Fontoura, a Telasul chegou a usar o CAD de forma isolada do ERP, o que durou até março deste ano.

“Cada vez que finalizávamos um projeto, era necessário digitar manualmente, nas bases de dados do ERP, informações essenciais para o processo de venda, transporte e instalação dos móveis projetados por nós”, afirma o executivo.

Traduzindo, perda de um tempo precioso para os profissionais da empresa, que tinham de digitar dados como peso, medida, código do item, estrutura do produto, quantidade de peças, entre outros.

“Nesse processo, às vezes aconteciam erros de digitação, algo que prejudicava a precisão de todo o projeto, exigindo retrabalho e provocando atrasos”, destaca o gerente de TI.

A partir de abril, tudo mudou: com a integração ao Focco, os engenheiros e projetistas da Telasul dão corpo aos móveis da loja com auxílio do CAD, e o arquivo é visto como um documento pelo PDM.

Com isso, o projeto é um objeto com controle de versões, criado de acordo com normas de segurança que determinam até mesmo para quem, dentro ou fora da Telasul, será enviado.

Tudo possível porque a solução PDM utiliza recursos de workflow para fazer o roteamento automático de cada projeto de acordo com a lógica de negócios das demandas.

“O próprio PDM extrai, de cada projeto desenvolvido com o SolidWorks 2011, os dados que serão passados para o ERP”, destaca Fontoura.

Com isso, os dados sobre o novo projeto de loja passam a estar disponíveis para os usuários do ERP, que manipulam os dados gerados pela engenharia da Telasul para criar propostas de venda, notas fiscais, manuais de montagem, etc.

“As áreas de vendas, de logística e administrativas adicionam a dados originários do CAD informações essenciais como preço e detalhes de entrega e de montagem”, comemora o gestor de TI.

Parceria
A MAX3D atende a Telasul desde 2010, quando a empresa começou a usar o SolidWorks 2011 em sua área de projetos.

Em 2011, participou dos trabalhos que levaram à implementação do SolidWorks Enterprise PDM e à integração da área de engenharia com as áreas de negócios da empresa.

Além disso, treinou os usuários e técnicos internos da empresa no CAD 3D e na plataforma PDM, sendo também responsável pelo suporte às soluções SolidWorks utilizadas na Telasul.