Tamanho da fonte: -A+A

A HP encaminhou na quarta-feira, 16, na Corte Suprema de Santa Clara, Califórnia, um processo contra a Oracle.

O processo se deve à decisão da empresa de interromper o desenvolvimento de software para processadores Intel Itanium, utilizados pela fabricante em servidores de alto desempenho.

A decisão da Oracle foi divulgada no dia 22 de março e, segundo a HP, viola "compromissos jurídicos acordados" entre as duas empresas e com “os mais de 140 mil clientes que possuem em comum”, informa um comunicado oficial.

Além disso, a HP afirma, no processo, que a prática da Oracle pode também significar uma estratégia para forçar consumidores a abandonar plataformas da HP com Itanium, substituindo-as por soluções fornecidas pela própria fabricante.

Com o processo, a HP pretende garantir que a Oracle mantenha o desenvolvimento dos softwares que descontinuou.

A Oracle, por sua vez, não acata o pedido, e chegou a acusar, em nota, a HP de ter enganado a empresa para que um contrato, apresentado em setembro, fosse assinado, mesmo sabendo dos planos da Intel de descontinuar o Itanium, informa o IDG Now.

A Intel ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Segundo a Oracle, a fabricante de hardware alterou o documento encaminhado.

"A HP pediu explicitamente para a Oracle garantir o suporte contínuo ao Itanium, mas, como a Oracle recusou a proposta, o trecho referente à garantia de suporte ao Itanium foi excluído do contrato final assinado com a HP", diz comunicado enviado à imprensa.

Leia a íntegra do comunicado abaixo.

Ontem, a HP entrou com uma ação judicial contra a Oracle alegando que a empresa violou o acordo de suporte ao microprocessador Itanium. Mas fica claro já nas primeiras minutas do contrato que a alegação da HP não é verdadeira. O fato é que a HP pediu explicitamente para a Oracle garantir o suporte contínuo ao Itanium, mas, como a Oracle recusou a proposta, o trecho referente à garantia de suporte ao Itanium foi excluído do contrato final assinado com a HP.

Contudo, é interessante ressaltar que, em setembro de 2010, a HP propôs que a Oracle assumisse o compromisso de manter o suporte ao Itanium no longo prazo. Na ocasião, a Oracle não sabia que já havia um plano de encerrar a produção do Itanium, pois somente foi informada seis meses depois, em março de 2011. Por isso, a Oracle acredita que a HP já sabia sobre os planos da Intel de descontinuar o Itanium, quando fez o pedido de garantia de suporte ao Itanium no contrato de setembro de 2010, pois a HP estava preocupada com o que aconteceria quando a Oracle descobrisse tal plano.

Entretanto, é sabido que Ray Lane e os atuais membros do Conselho da HP, bem como Leo Apotheker e a atual diretoria da HP, têm total conhecimento sobre todos os detalhes dos planos da Intel de encerrar a produção do microprocessador Itanium. Ciente disso, a HP emitiu várias declarações públicas em uma tentativa de enganar e induzir seus clientes e acionistas ao erro de acreditar que não existem planos de descontinuar o Itanium. Mas existem sim. Os planos da Intel de encerrar a produção do Itanium serão revelados em juízo agora que a HP entrou com esta ação judicial mal-intencionada e improcedente contra a Oracle.