A Itaipu Binacional criou um núcleo de software livre, focado em treinamento e desenvolvimento para a suíte de escritório LibreOffice.

 
A ação é coordenada pela Itaipu, pela Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) e pela a Associação Libre de Tecnologias Abertas (ALTA).
 
A nota não esclarece quantos recursos da Itapu serão destinados à desenvolver código para o LibreOffice, nem por quanto tempo.
 
De acordo com notícia publicada no site da VIII Conferência Latino-Americana de Software Livre, que acontece na sede da Itapu, em Foz do Iguaçú, a iniciativa “reduzirá a dependência dos usuários brasileiros de desenvolvimento exclusivamente internacional”.
 
O governo federal tem como parte da sua estratégia de TI promover o uso do formato de documento aberto .ODF em contraponto ao proprietário .DOC, do Microsoft Office.
 
“Itaipu deseja não ser apenas consumidora de Software Livre, mas também colaboradora, fazendo com que melhorias desenvolvidas sob esse trabalho beneficiem não somente a própria Itaipu, mas o governo nrasileiro, a sociedade e a todos os usuários do LibreOffice”, afirma a CIO da Itaipu Binacional, Marli Portella.
 
Quem é o LibreOffice
O LibreOffice é o sucessor do BrOffice, nome com o qual foi batizada no Brasil a distribuição de software livre OpenOffice.
 
Os integrantes da comunidade BrOffice se integraram ao LibreOffice seguindo um movimento mundial de desenvolvedores descontentes com o rumo do OpenOffice após a aquisição da Sun pela Oracle.