As exportações de TI brasileiras na área de offshore outsourcing devem crescer 36,4% este ano, segundo a Brasscom.

Com isso, o valor movimentado chegará a cerca de US$ 3 bilhões, o que ainda representa queda perante o índice de expansão de 175% registrado no ano passado, sobre 2007.

Conforme análise da Brasscom, a crise financeira e a valorização do real frente ao dólar, que diminuiu a atratividade das empresas brasileiras, contribuiu para a queda no índice de crescimento.

Agora, a entidade prevê uma retomada da normalidade econômica, com expectativa de gerar US$ 3,5 bilhões em 2010.

O segmento de terceirização de serviços e software movimenta anualmente US$ 84 bilhões em todo o mundo, crescendo a uma taxa superior a 20%/ano. Neste quadro, a Índia domina US$ 50 bilhões do total, ficando o restante dividido entre China, Rússia, Brasil, México e Filipinas.

Para fortalecer a TI nacional neste cenário, a Brasscom realizou na semana passada o U.S. Brazil IT BPO Summit, em Nova York. No evento, foram apresentados serviços e produtos brasileiros a 130 potenciais clientes e formadores de opinião.

Conforme o presidente da entidade, Antonio Carlos Rego Gil, da posição que ocupa hoje, o Brasil pode subir para o posto de segundo colocado dentro de alguns anos. Segundo ele, o país se destaca por oferecer estabilidade política, econômica, grande mercado interno, conhecimento tecnológico, fuso horário favorável, infraestrutura avançada e afinidade cultural, informa o ComputerWorld.