Vanderlei Buffon, diretor Mercadológico da Procad

A caxiense Procad acaba de abrir um escritório nos EUA, com investimento inicial de US$ 240 mil, entre recursos próprios e provindos da Apex.

Instalada em Miami, a filial abre as portas com dois colaboradores brasileiros e soma-se à estrutura de atendimento da Procad ao mercado internacional, que hoje responde por 5% das vendas por meio de escritórios no México e Argentina, além de parceiros na Espanha e Portugal.

Há, ainda, projetos pontuais em diversos países, fazendo com que as soluções da companhia gaúcha para ambientação virtual estejam presentes em mais de 30 mercados.

A nova unidade, localizada próxima ao porto e aeroporto de Miami, é uma das apostas da empresa serrana para fomentar seu crescimento, estipulado em 30% para 2011, quando o faturamento esperado fica na casa dos R$ 25 milhões.

“Consideramos Miami uma das melhores opções para entrada no mercado norte-americano, pelo ambiente cultural e comercial semelhante ao do Brasil”, observa Vanderlei Buffon, diretor Mercadológico da Procad.

Na base americana, cuja abertura também contou com apoio da Orchestra Brasil, o atendimento será local, mas serviços técnicos serão desenvolvidos no Brasil.

Grande por dentro
E por falar no país, a empresa de Caxias do Sul dedicou os últimos dois anos à expansão no mercado interno.

“Em 2010 e 2011, montamos uma rede de filiais em Florianópolis, Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte”, conta Buffon. “Para o próximo ano, vamos abrir em Salvador, mas também vemos possibilidades no Rio de Janeiro e Brasília”, completa.

Colômbia nos planos
Já para o exterior, um próximo passo pode ser dado na Colômbia, com um braço de distribuição, mas não há data prevista para isso.

“Sabemos que teremos muito trabalho para consolidar um mercado do tamanho dos EUA”, afirma o diretor Mercadológico.

Portfólio e carteira
Especializada em software para ambientação virtual no segmento moveleiro, a Procad atende a mais de 12 mil clientes do setor, o que soma aproximadamente cinco mil usuários, entre arquitetos, decoradores, indústrias e marcenarias, entre outros.

Ao total, são 60 mil licenças instaladas, em uma carteira que contempla nomes como Bomtempo, Dellano, Florense, Saccaro e Todeschini, entre outras.