A ZTE, fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicações e soluções de rede, anuncia sua entrada no mercado de ferramentas de computação em nuvem.

A meta da companhia é que as vendas das soluções “OS 'CoCloud”, como foi batizada a nova linha, respondam por 1/3 da receita total em breve.

A novidade inclui o sistema operacional na nuvem CoCloud, patenteado pela empresa, além de plataformas variadas para gerenciamento de recursos de TI, computação virtual, gestão operacional da nuvem e segurança da nuvem.

Além do setor de Telecom, já tradicionalmente atendido pela fornecedora, os lançamentos focam, ainda, os nichos de governo e corporativo.

A ZTE também anunica a criação de seu Global Cloud Computing Center, em Nanjing, na China.

"É nossa ambição usar a computação em nuvem para gerar um terço das receitas totais da ZTE", afirma Shi Lirong, presidente da companhia. “Sob este novo modelo industrial, esperamos introduzir mudanças radicais nos mercados de TI e TC, abrindo novas oportunidades para os players da indústria", complementa.

De olho no Brasil
Em abril passado, a fabricante chinesa anunciou intenções de investimentos no Brasil, com a oficialização de uma parceria com a prefeitura de Hortolândia para construção de uma fábrica na cidade.

O anúncio, feito em um ato que marcou a assinatura de acordos bilaterais com empresas de ambas as nações, também contou com a Huawey, fabricante de equipamentos de tecnologia sem fio que prometeu destinar US$ 350 milhões à construção de um centro de pesquisas em Campinas.

No caso da ZTE, o valor do investimento não foi divulgado.