A Ambev reduziu em 30% o espaço em disco ocupado por documentos fiscais após adotar o sistema HB.NFe, desenvolvido pela blumenauense HBSis.

Com a solução, a maior cervejaria do mundo em volume de produção passou a atender seus 70 Centros de Distribuição Direta (CDD) e 37 fábricas, que, juntos, emitem uma média de 120 mil notas fiscais por dia.

“Desde o anúncio da obrigatoriedade da NF-e para nosso segmento, há três anos, sempre tivemos uma preocupação maior por conta do volume de notas que emitimos. Além disso, com operações em todo país deveríamos também ter de fazer a integração com as Sefaz de cada estado, aumentando a complexidade da operação”, destaca o diretor de TI da AmBev, Sérgio Fernandes Vezza.

Segundo o executivo, a ferramenta para NF-e contratada pela AmBev antes da HBSis não atendeu à demanda.

“Investimos em mais infraestrutura de servidores e mesmo assim trabalhávamos com emissão de mais de 40% dos documentos em contingência diariamente, o que ocasionava custos altos de papel e de trabalho para regularização posterior desses documentos”, destaca Vezz, acrescentando que ainda “faltava suporte” do fornecedor anterior.

De acordo com o diretor de TI, a solução da HBSis também venceu a concorrente anterior por ser mais aderente e integrada aos ERPs da AmBev.

Vezza também comemora o fato de a nova solução ter ficado pronta em poucos meses e de a implantação ter sido concluída em menos de seis meses.

“Outra vantagem é que o investimento em infraestrutura feito anteriormente pode ser realocado em outras áreas”, destaca o diretor. “Atualmente temos menos de 0,1% de emissões em contingência, raramente por alguma falha da solução, mas sim, por problemas de conectividade com as Sefaz. Há muito tempo não tenho preocupações com a NF-e”, comemora.