Baguete
InícioNotícias> Softwares piratas prejudicam 69% das PMEs

Tamanho da fonte:-A+A

Softwares piratas prejudicam 69% das PMEs

Guilherme Neves
// quinta, 18/11/2010 12:10

Quase sete em cada 10 PEMs já sofreram com problemas em seus sistemas por softwares piratas.


O número foi levantado pela TNS, em pesquisa realizada a pedido da Microsoft com empresas de 20 países, incluindo o Brasil. Segundo o levantamento, 68,6% das PMEs relataram ataques por vírus e falhas no uso de programas não oficiais.

Conforme a Computerworld, a pesquisa ouviu 38 mil consumidores, entre setembro e outubro de 2010. Do total, 70% acreditam que o uso de software genuíno é mais seguro. Outros  75% creem  que os clientes precisam encontrar caminhos para se proteger da venda ilegal de software.

Em outra pesquisa, também da Microsoft, os problemas mais comuns foram falhas críticas (17,4%) e danos de informações sensíveis por vírus ou bugs nos sistemas (13,6%).

O relatório é da Price & Cooke, e analisou empresas de toda a América Latina.

Ainda no mesmo universo, somente 15% das companhias sabem identificar um valor aproximado das perdas, mas 39% acreditam que as perdas estão entre médias e altas.

A pesquisa mostrou também que 73% das empresas que utilizavam programas irregulares teriam sido vítima de um ataque cibernético no ano passado, e 35% dos ataques foram considerados efetivos.

De acordo com o sétimo Estudo de Pirataria mundial realizado pela BSA-IDC (2010), 63% dos programas de software na América Latina é ilegal, um número que ainda está acima de 43% da pirataria mundial. A taxa de programas piratas no Brasil, segundo o mesmo estudo, é de 56%.