A Petrobras inicia neste mês o processo de instalação do BrOffice em seu parque de máquinas, estimado em 90 mil computadores. 

Com a novidade, a empresa deve reduzir em cerca de 40% a demanda de aquisição de licenças pagas de software proprietário equivalente. 

O projeto prevê três fases. Na fase atual, a de instalação do BrOffice, os aplicativos apenas estão sendo acrescentados nas máquinas e os usuários comunicados de que existe uma nova ferramenta. 

Na segunda fase, haverá uma campanha de estímulo ao uso, prevendo treinamento de pessoal. Por fim, a última etapa será de adequação de licenças, em que cada setor poderá avaliar as suas reais necessidades e optar por manter o aplicativo atual com custos de licenciamento associados ao departamento. 

A previsão é que o programa de código aberto esteja em todas as máquinas ao final de dois meses.

“Definimos a mudança de padrão interno de documentos e adotamos o ODF, que é um padrão aberto com especificações de domínio público, plenamente suportado pelo BrOffice.org”, afirma a coordenadora de projetos de Tecnologia da Informação da Petrobras, Márcia Novaes.

Além do BrOffice, a Petrobras também migrou para o navegador Mozila Firefox.