A Softplan/Poligraph intensificou seu programa de canais para cumprir a meta de, no curto prazo, estar presente em todas as cidades do Brasil com mais de 500 mil habitantes.

A companhia, que em 2009 ampliou a rede de parceiros no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Ceará, agora investe na expansão especialmente no Nordeste e em todas as localidades que serão sede da Copa do Mundo de 2014, já que as mesmas deverão passar por diversas obras e o foco das ações de canais é o Sienge, ERP da companhia para o setor de construção civil.

O Sienge, que atende a todos os processos da construção civil - desde análise de viabilidade até relações entre clientes, fornecedores, bancos e corretores – já conta com mais de 900 clientes em todo o país.
Agora, a ferramenta ganha uma novidade: a adaptação para obras rodoviárias.

"Essas obras são diferentes das construções civis em geral e utilizam mais máquinas do que mão de obra”, explica o diretor da Softplan/Poligraph para Indústria da Construção, Carlos Augusto de Matos. “Portanto a solução, nesses casos, recebe indicadores distintos e outros critérios de produtividade", relata.

Além disso, ainda neste semestre o software irá agregar dois novos sistemas, voltados ao controle físico de patrimônio e segurança do trabalho, medicina ocupacional, gestão do meio ambiente e responsabilidade social.

O Sienge, que desde 2009 é oferecido via Internet, já conta com 70% dos clientes nesta versão. Por conta disso, a Softplan/Poligraph lançou há pouco o Portal de Ensino à Distância Sienge, que, em um mês, conquistou mais de 200 alunos.

“O objetivo do portal é capacitar, via internet, os clientes que já utilizam o Sienge e os que estão em processo de implantação, além de proporcionar uma segunda opção de ensino”, explica Matos.

O site disponibiliza 13 cursos e, para 2010, a meta é liberar mais 35 treinamentos.
 
Sediada em Florianópolis, a Softplan/Poligraph desenvolve sistemas de gestão para a indústria da construção, administração pública, projetos cofinanciados por organismos internacionais, departamentos de infraestrutura, transportes e obras e judiciário, ministério público e procuradorias.