O gerente de TI da RGE, Paulo Lima

Pouco mais de três meses após aderir ao BI Oracle para seu processo de leitura de medidores de energia, a RGE, distribuidora que atende a 262 cidades gaúchas, planeja informatizar ainda mais esta operação.

 

O projeto de BI foi conduzido pela porto-alegrense Advanced IT, que atende a RGE desde 2005. Agora, a distribuidora projeta ir além dos relatórios automatizados na área, partindo para o envio de fatura in loco.

 

O gerente de TI da RGE, Paulo Lima, detalha que, hoje, as equipes fazem a leitura dos dados em campo, via coletores que trabalham integrados ao Oracle Bi Standard Edition One (Obise1), mas o faturamento das contas ainda é feito dentro da RGE.

 

“Nossa meta é, no segundo semestre deste ano, faturar diretamente na hora da leitura”, conta Lima.

 

O fornecedor para o projeto ainda está em avaliação, e, segundo o gerente de TI, não está descartada a hipótese de uma solução criada internamente.

 

Outro projeto relacionado à leitura de dados e faturamento também deverá entrar em curso ainda este ano: o aviso de fatura por e-mail, iniciativa na qual a RGE vem trabalhando em parceria com a Stefanini.

 

Mais: também no decorrer de 2012 a distribuidora pretende estrear seu serviço de aviso de falta de energia via SMS.

 

Energia para investir
A atenção da RGE à TI é constante.

 

O projeto de BI concluído em dezembro passado, por exemplo, mudou um ambiente de leitura de dados em que, anteriormente, se gerava relatórios em planilhas de Excel.

 

“Com o Obise1, os dados hoje são gerados diariamente através do Oracle Warehouse Builder, que permite integrar dados e transformá-los em informações de mais fácil interpretação para os gestores”, destaca Lima.

 

Com isso, dados como o número de reclamações e sugestões que a empresa recebe, de que regiões e cidades são originárias, em que mês foram feitas, percentuais comparados a meses e anos anteriores, acompanhamentos de leituras de energia elétrica, horas trabalhadas por agentes comerciais e níveis de produtividade ficam disponíveis automaticamente.

 

A escolha da Advanced IT para o projeto, segundo Lima, foi natural.

 

“Atuamos com esta parceira desde a implantação dos primeiros datamarts em nossa estrutura de BI”, comenta o gestor de TI.

 

Um trabalho que já incluiu serviços de modelagem de dados, DW e projetos de BI focados em faturamento, ordem de serviço, inadimplência, receita e recuperação de irregularidades, entre outros.

 

Prata da casa
A RGE também aposta forte no desenvolvimento interno.

 

Ano passado mesmo, o departamento de TI da companhia, que conta com 32 colaboradores, desenvolveu uma ferramenta de call center que, segundo Lima, otimizou o atendimento da companhia, embora ainda não haja dados numéricos sobre as melhorias.

 

O departamento de TI da distribuidora é dividido em equipes de Suporte de Sistemas, Suporte de Data Center e Desenvolvimento de Projetos.

 

Lima está na gerência da TI desde 2009.

 

Antes disso, o executivo foi CIO do Frigorífico Mercosul, onde atuou depois de ficar por sete anos na própria RGE.

 

Certificado em PMP e ITIL Foundations, Lima é graduado em Ciências da Computação pela Ufrgs, com pós-graduação em Gerenciamento de Projetos pela FGV.A RGE

 

A RGE
Privatizada em outubro de 1997, a RGE integra Grupo CPFL e atende a 51% das cidades do Rio Grande do Sul.

 

O foco são as regiões central e leste do estado, a partir de sedes em Passo Fundo e Caxias do Sul, onde também fica o data center.