Estudo da IBM em parceria com o MIT aponta que as empresas de alto desempenho têm três vezes mais probabilidade de serem usuárias líderes de ferramentas analíticas.

Mais de três mil executivos e analistas de negócios de 30 segmentos de mercado e 108 países, incluindo o Brasil, participaram do estudo.

Na hora de tomar decisões, diz o relatório, essas organizações revelam uma probabilidade cinco vezes maior de usar análises, e uma tendência duas vezes maior de moldar futuras estratégias e guiar operações de rotina com base no uso de ferramentas analíticas.

“No Brasil, o setor financeiro, telecomunicações e varejo já entendem a importância da análise de dados nos negócios e, por isso, têm implantado soluções de otimização com frequência maior”, diz Kátia Vaskys, líder de consultoria da IBM Brasil para Serviços de Gestão e Análise da Informação.

Segundo Kátia, os mercados de seguradoras, bens de consumo e manufatura vêm seguindo o mesmo rumo.

“Esse estudo mostra que quando as organizações usam ferramentas analíticas para lidar com seus maiores desafios, elas podem superar até o que parece insuperável”, completa.

Os fatores que mais contribuem para dificuldades de entendimento sobre a aplicação de técnicas de análise para otimizar processos de negócio estão a falta de tempo e capacidade de investimento por conta de prioridades concorrentes, e a baixa capacitação na linha de frente.