A Suzano, produtora de papel e celulose, está empregando soluções de geotecnologia em sua produção.

Soluções que integram imagens de satélite, fotos aéreas e softwares de geoprocessamento tem sido utilizadas para atualizar periodicamente as informações de sua base florestal composta por mais de 770 mil hectares, distribuídos em sete estados brasileiros.

Richard Dalaqua, analista de geoprocessamento da Suzano, explica que, desde a adoção, as soluções vem otimizando o controle de ativos.

“Com as ferramentas GIS o processo de inclusão, atualização e disseminação da informação ficou muito mais dinâmico. Incluímos bancos de dados em cada uma das unidades florestais onde são armazenadas as informações de área de responsabilidade das unidades”, diz Dalaqua.

Nas atualizações do sistema a Imagem apoiou a Suzano na inserção de dados com topologia e versionamento.

“Essas duas ferramentas são essenciais para encontrar problemas e facilitar o trabalho das atualizações, otimizando o fechamento mensal”, explica Dalaqua.

A empresa conta com cinco fábricas espalhadas pelo Brasil que se responsabilizam por sua própria área de plantio.

Cada uma dessas unidades trabalha com dois tipos de banco de dados para edição, publicação e armazenamento dos mapas digitais. A fábrica localizada em Suzano (SP) tem um terceiro banco de dados, responsável por consolidar todas as informações.

Os mapas são disponibilizados em um portal para cerca de 500 usuários, onde é possível encontrar o SME (Site de Mapas Estáticos) com imagens em formato de folha A4, mapas dinâmicos, com recursos como medição, busca, impressão e buffer, além de mapas específicos.

Para a topologia foi implementado um recurso do sistema para detectar falhas nas informações  como uso do solo, hidrografia, limites e parcelas do inventário.

Estão programados para os próximos meses a melhoria do geodatabase com a atualização do modelo de dados e a padronização do mapa base que incluirá todas as ferramentas ArcGIS disponíveis.