A Microsoft fechou o segundo trimestre fiscal desse ano com uma leve retração no lucro, reflexo das vendas menores de computadores.

Foi apurado lucro líquido de US$ 6,624 bilhões, ou US$ 0,78 por ação, contra US$ 6,634 bilhões, ou US$ 0,77 por ação, no mesmo trimestre do ano anterior.

As vendas da empresa avançaram 5% para US$ 20,9 bilhões, em linha com as previsões de analistas, amparadas pela suíte Office, softwares para servidores e pelo videogame Xbox.

A ação da Microsoft subiu 2,2% após o fechamento do pregão.

“Os resultados estão bem em linha com as minhas expectativas. Todos prevíamos que o mercado de computadores fosse fraco e que isso afetasse o negócio do Windows. Mas os segmentos de servidores e ferramentas estão indo bem”, disse Sunit Gogia, analista na Morningstar.

Dados do Gartner do meio do ano passado já indicavam uma queda de 3,8% no crescimento anual das vendas de PCs, representando 352 milhões de unidades a menos na comercialização.

No IDC, as vendas para 2011 de computadores foram reavaliadas pelo menos uma vez, de 7,1% para 4,2%.

Ao mesmo tempo em que preveem uma redução nas vendas de PCs, as consultorias tendem a estimar para cima as comercializações de tablets e outros dispositivos móveis que vem ganhando mais poder de processamento.

Tal movimento de mercado representa um desafio para a Microsoft, cujo sistema operacional para PCs, o Windows, lidera o mercado a anos, mas se vê em dificuldades para emplacar no segmento móvel.

O Windows 8, esperado para esse ano, já rodou em versão de testes num tablet da Samsung.