Pirataria invade Sul e Sudeste

O Sul e o Sudeste brasileiros foram líderes do ranking de software pirata no mês de março, com 94% das mídias apreendidas em uma operação realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), Business Software Alliance (BSA) e Entertainment Software Association (ESA).

No período, uma ação coordenada por todas as esferas da polícia do país resultou num total de 116 mil CDs falsificados apreendidos. Foram 66 operações de apreensão, 29% a mais do que em fevereiro.

“Foz do Iguaçu, São Paulo e Rio de Janeiro, três áreas extremamente impactadas pela pirataria em função de suas localizações e por serem importantes pólos comerciais, foram as praças com maior saldo de apreensão”, comenta Antônio Eduardo Mendes da Silva, coordenador do Grupo de Trabalho Antipirataria da ABES.

Silva também destaca as ações de combate à pirataria corporativa. Em março, as entidades receberam 468 denúncias, por e-mail e telefone, sobre empresas que estavam supostamente com suas bases instaladas irregulares.

“Tivemos um salto de 45% em termos de denúncias e de 122% em ações iniciadas contra essas companhias”, detalha Silva. “Enviamos, ainda, 239 notificações contra as empresas infratoras”, comenta.

O monitoramento da venda de produtos piratas na internet também registrou avanços. Em março foram retirados do ar 1,4 mil anúncios de produtos ilegais, valor 15% maior que o mês anterior, além de 25 websites utilizados para a mesma finalidade.

As ações de ABES, BSA e ESA contra a pirataria de software podem ser conhecidas em detalhes pelo site abaixo.