Stefanini monitora redes sociais

21/07/2011 11:08

A Stefanini Document Solutions, empresa do grupo Stefanini IT Solutions, lança o Social Qualis, solução de monitoramento em tempo real para redes sociais, sites de jornais, blogs e outras fontes de notícias online.

A ferramenta faz um “retrato” do que se fala, por exemplo, a respeito de uma marca e seus concorrentes.

Tamanho da fonte: -A+A

A Stefanini Document Solutions, empresa do grupo Stefanini IT Solutions, lança o Social Qualis, solução de monitoramento em tempo real para redes sociais, sites de jornais, blogs e outras fontes de notícias online.

A ferramenta faz um “retrato” do que se fala, por exemplo, a respeito de uma marca e seus concorrentes.

Para isso, usa técnicas de Inteligência Artificial que identificam as informações de interesse publicadas, analisam o conteúdo monitorado e atestam automaticamente – sem intervenção humana – o sentimento vigente (positivo, negativo, neutro) a respeito do conteúdo controlado.

“Cada vez mais empresas estão invadindo as redes sociais para saber o que pensa ou sente seu consumidor, pois a informação por ele publicada é voluntária e espontânea, diferente de uma pesquisa orientada”, afirma Paulo Tadeu, CEO da Stefanini Document Solutions.

Ainda conforme o executivo, nas relações interligadas pelas redes, as opiniões individuais são as mais válidas, pois geram as opiniões de grupo.

Assim, segundo ele, surge um universo que precisa de monitoramento, até para agilizar a aplicação de ações corretivas quando detectada necessidade destas.

Com o Social Qualis, os resultados das análises podem ser visualizados em tempo real por meio de gráficos.

Desenvolvida pela Stefanini com um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco e apoio da Finep, a solução tem capacidade para rodar em nuvem e pode ser comercializada na forma de serviço, mas também está disponível em formato licenciado.

“Pelo que conhecemos no mercado, somos a única empresa brasileira que desenvolve tecnologia de análise automática de opiniões, pois utilizamos nosso conhecimento no desenvolvimento dos robôs de software baseado nas técnicas de redes neurais, com inteligência computacional”, destaca Juliano Rabelo, diretor de Tecnologia da Stefanini Document Solutions.

Segundo ele, os principais concorrentes nacionais e a maior parte dos estrangeiros coletam os dados, mas sempre necessitam de intervenção humana no processo, o que atrasa e encarece o serviço.

Ainda conforme Rabelo, o feedback trazido pela solução pode ser usado para retreinar o modelo matemático que classifica as opiniões, de forma que esse mecanismo de classificação mantenha-se em constante evolução, sem necessidade de alteração no código-fonte.

Motor nas finanças
De acordo com Rabelo, um dos setores que mais demanda o uso deste tipo de solução é o financeiro, especialmente as seguradoras.

“Estamos evoluindo bem em três das top 10 do setor”, conta o diretor. “No setor bancário, fizemos um contato inicial durante o CIAB e a procura e interesse estão muito grandes”, complementa.

Para os bancos, segundo ele, a ferramenta é fundamental para mensurar a percepção do público acerca de sua marca ou produtos, em tempo real, com visualização instantânea, sem precisar aguardar pelos tradicionais relatórios de conclusão de campanha, permitindo ajustar a estratégia ao longo da própria ação, baseando-se no feedback recebido.

“Ou seja, além de incrementar o relacionamento, o sistema funciona como uma pesquisa de opinião convencional, com a vantagem de ser mais abrangente, pois consegue captar dados no Brasil ou no mundo todo”, afirma Rabelo. “No momento em que são publicadas, as opiniões são coletadas, tudo imediato e barato”, finaliza.

A Stefanini é uma multinacional brasileira com 23 anos de atuação no setor de serviços em TI.

A consultoria atende ao mercado financeiro, incluindo as dez maiores instituições financeiras do país, telecomunicações, seguradoras e governo.

A oferta de serviços abrange consultoria, integração, desenvolvimento de soluções e outsourcing para aplicativos e infraestrutura; além de BPO para processos de negócios.

A companhia figura entre as 100 maiores empresas de TI do mundo (BBC News) e, no Brasil, foi premiada por cinco anos consecutivos pela Infoexame (2005 a 2009) como a melhor no segmento Fábrica de Software e Integração.

Além disso, foi a primeira colocada, pela terceira vez, no ranking “Tecnologia - software e serviços”, da revista Isto É Dinheiro, e, este ano, foi apontada pelo Black Book of Outsourcing Report como melhor empresa de outsourcing da América Latina.
 

Veja também

Stefanini é a 2ª mais internacional no Brasil

A Stefanini IT Solutions deu um salto de posição no último  Ranking das empresas Transnacionais Brasileiras da Fundação Dom Cabral, saltando da 17ª para a 2ª colocação em uma listagem de 46 empresas.

No primeiro lugar, como já aconteceu no ano passado, ficou o frigorífico JBS.

Stefanini: compras sobem faturamento em 68%

A Stefanini faturou  R$ 276 milhões no primeiro trimestre de 2011, resultado 68% maior que o obtido no mesmo período do ano passado.

Boa parte da expansão está associada às compras feitas nos últimos 12 meses.

No início de 2010, a Stefanini adquiriu a Sunrising no Brasil e desde então comprou  a TechTeam (dezembro de 2010), CXI (janeiro de 2011), ambas nos Estados Unidos, além da Informatica & Tecnologia (fevereiro de 2011), na Colômbia.

Stefanini amplia negócios no México

A Stefanini ampliou seu contrato de prestação de serviços com o Banco Nacional do México - Banamex Citigroup, instituição dona de 20% do mercado financeiro mexicano.

Inicialmente focado análise e desenho de aplicações, manutenção corretiva e evolutiva e consultoria em scrum, o contrato passou a incluir também o desenvolvimento de Fábrica de Software para a área de Cartões de Crédito do banco.

Stefanini: ex-Philips será CEO na Europa

A Stefanini IT Solutions contratou o executivo Manuel Frade como Chief Executive Officer EMEA,  cargo, inédito na consultoria que faz parte dos esforços da empresa em reforçar as operações na Europa.

Formado em engenharia elétrica pela McGill University, no Canadá, Manuel trabalhou mais de 20 anos para a Philips, passando pelas divisões de Semicondutores e Iluminação, onde exerceu o cargo de CEO para América Latina.

Sonda, Stefanini e Tivit afetadas pela greve

Sonda Prockwork, Stefanini e Tivit são algumas das empresas afetadas pela greve dos profissionais de TI em São Paulo.

Stefanini na alta roda

Marco Stefanini, fundador e presidente da Stefanini IT Solutions, será o representante do setor de TI, no CEO Forum, que acontece em Brasília nos próximos dias 19 e 20 de março.

O encontro terá as presenças da presidente do Brasil, Dilma Russeff, e do americano, Barack Obama.

O CEO Fórum foi fundado em 2007 por 10 CEOs de indústrias brasileiras e americanas de diversos setores e inclui empresas como Citibank, Coca-Cola, GM, Intel, Cummins, Motorola e Gerdau. Este é o quinto encontro.

Stefanini faz compras nos EUA e Colômbia

A Stefanini IT Solutions, anunciou a aquisição da CXI,  provedora de serviços em tecnologia na região da Virgínia e Washington DC, e da  Informática & Tecnología , empresa colombiana especializada em desenvolvimento em TI.

Em dezembro de 2010, a Stefanini fez sua primeira aquisição internacional, ao adquirir a multinacional americana  TechTeam por US$ 94 milhões. Foi a maior compra já feita por uma empresa brasileira no exterior.

Gaúcho comanda Stefanini TechTeam

O gaúcho Antonio Moreira, que desde 2001 comanda a operação americana da Stefanini, será o CEO da nova  Stefanini TechTeam.

A empresa é a resultante da compra pela Stefanini da TechTeam por R$ 94 milhões, concluída nesta segunda-feira, 13. O negócio é o maior já feito por uma empresa brasileira de TI no exterior.

Fundada em 1979 e sediada em Southfield, Michigan, a TechTeam tem aproximadamente 2,2 mil colaboradores em todo mundo, fornecendo suporte de TI em 32 idiomas.

Stefanini e Consentino criticam CLT na Exame

Laércio Consentino e Marco Stefanini, fundadores da Totvs e da Stefanini, criticaram as leis trabalhistas brasileiras na edição da Exame dessa quarta-feira, 03.

“As regras de 1930 não se aplicam à era da Internet”, comenta Stefanini na reportagem. De acordo com o empresário, falta incluir na lei “conceitos mais modernos”. Ele cita como exemplo o home office. “É uma tendência em todo mundo, mas no Brasil não é permitido”.

Stefanini faz compra nos EUA por US$ 93 mi

A Stefanini anuncia a compra da norte-americana TechTeam Global, em uma transação estimada em US$ 93,4 milhões - US$ 8,35 por ação, um prêmio de aproximadamente 24% em relação ao mercado.

A compra foi feita por meio da subsidiária da Stefanini nos Estados Unidos e deverá ser concluída ainda no quarto trimestre de 2010.

O acordo definitivo já foi integralmente apoiado pelos conselhos diretivos das duas empresas.

Stefanini abre terceiro escritório no México

A Stefanini acaba de abrir seu terceiro escritório no México. A unidade é localizada em Guadalajara. As outras duas ficam na Cidade do México e Monterrey.

Stefanini compra paulista Sunrising

A Stefanini IT Solutions comprou a Sunrising Tecnologia, empresa paulista especializada em implementação de soluções Oracle, upgrades e outsourcing. O valor do negócio não foi revelado.

De acordo com nota da Stefanini, a adquirida é “uma das líderes nesse mercado” e fornece soluções para áreas como gestão de recursos humanos, folha de pagamento, financeiro, CRM, supply-chain, business intelligence e balanced scorecard. A Sunrising tem 100 funcionários.

Schmidt admite que errou em redes sociais

O ex-CEO do Google Eric Schmidt admitiu nessa terça-feira, 31, que fez besteira na estratégia da empresa em redes sociais, algo considerado fundamental para os negócios de busca.

“Olhando memorandos que escrevi há quatro anos (quando o Facebook estava começando) eu percebo que sabia que tinha que fazer alguma coisa, mas falhei em agir. Um CEO tem que assumir a responsabilidade. Eu fiz besteira”, disse Schmidt, ao participar no evento All Things Digital.

Dinamize monitora redes sociais

A Dinamize lançou um software de monitoramento de redes sociais nesta sexta-feira, 18.

O Easy Buzz é resultado da compra de 50% da tecnologia de monitoramento da catarinense A2C.

Agora, a Dinamize tornou-se responsável pela comercialização, produto, interface e cobrança do software que hoje já é utilizado por empresas como a Tigre e o Hospital Pró Rim.