A sede alemã da SAP

A SAP ampliará as suas atividades de pesquisa e desenvolvimento no Brasil na quinta-feira, 27, com a inauguração do Co-Innovation Lab São Paulo.

Resultado de um investimento de 1 milhão de euros, o local é o quinto do gênero no mundo e abrigará atividades de pesquisa da multinacional em parceria com empresas brasileiras.

Os dois primeiros parceiros do centro são a baiana LexConsult, com a qual a SAP fará pesquisa na área fiscal e a mineira Sigga, no campo de mobilidade.

Ao todo, a SAP realiza pesquisas com 40 empresas nos centros localizados em Bangalore, Tóquio, Palo Alto e na sede da corporação em Waldorf, na Alemanha.

“No próximos 12 meses, esperamos iniciar trabalhos conjunto com 10 empresas em todo Brasil”, adianta Axel Henning Saleck, vice presidente global do SAP Co-Innovation Lab Network.

O alemão, que falou com jornalistas brasileiros em um vídeo conferência realizada em São Leopoldo nesta quinta, 21, não revela as áreas de interesse das futuras pesquisas.

Metade das pesquisas dos chamados COILs, que trabalham de forma integrada dentro de uma nuvem privada da SAP, envolvem mais de uma empresa parceira.

Os contratos são feitos por projetos, mas cerca de 70% dos participantes mantém uma participação contínua em iniciativas do gênero.

O COIL brasileiro ficará instalado no prédio da SAP na capital paulista, mas é diretamente ligado à sede da companhia alemã, assim como o SAP Labs Latin America, sediado no Tecnosinos.

O SAP Labs, aliás é mais uma parte da estrutura de pesquisa da multinacional no país. A diferença é que no Labs as pesquisas são mais orientadas a modificações nos produtos já existentes em parcerias com uma só empresa, enquanto o COIL é voltado à criação de tecnologia do zero.

Em agosto, Erwin Rezelman, presidente do SAP Labs Latin America, anunciou em reportagem publicada pelo Baguete Diário um movimento de abertura ao mercado similar ao desenvolvido pelo COIL.

De acordo com Rezelman, a meta seria chegar a fevereiro de 2011 com 15 empresas criando novas soluções em colaboração com o centro de desenvolvimento.

Hoje, já trabalham em parceria com a multinacional no centro a Stefanini, Meta e HCL. Pesquisas também são realizadas com a Unisinos, Ufrgs e USP.

O foco do SAP Labs Latin America são setores bancário, saúde e agricultura. “Em cinco anos o Brasil ditará standarts mundiais nessas áreas e outros países do mundo farão a localização para seus mercados”, prevê o holandês.