Em um futuro próximo, tudo o que não for estratégico ou crítico entre os sistemas utilizados pela Lojas Renner passará a rodar em cloud computing. É o que contou o diretor de TI da rede de varejo, Leandro Fachin Balbinot, em entrevista ao IT Web.

“Aplicações de rotina tendem a ir mais rapidamente para a nuvem. Pegar uma aplicação interna específica é mais delicado", destacou o executivo. Segundo ele, atualmente já rodam na nuvem sistemas como o de controle de projetos corporativos da rede e alguns portais para compartilhamento interno de informações.

O projeto de cloud computing começou a ser avaliado em novembro de 2008, levando em conta aspectos como escalabilidade e flexibilidade das soluções, custo por licença, velocidade de implantação e independência, uma vez que os usuários ganham certa autonomia para lidar com a tecnologia, liberando a equipe de TI para atividades mais necessárias.

"A alternativa mais adaptável seria a do Google", revelou Balbinot, acrescentando que o projeto entrou em produção em junho, promovendo colaboração entre áreas da empresa através de canais formais e redes sociais. Já a migração das aplicações iniciais começou ainda em fevereiro.

Aos poucos, conforme Balbinot, mais coisas vão para nuvem. E-mail, agenda e mensageria estão na fila.