A Tractebel Energia, maior geradora de energia privada do Brasil, e o Laboratório de Planejamento de Sistemas de Energia Elétrica da UFSC (LabPlan-UFSC) acabam de firmar uma parceria com a Paradigma, de Florianópolis, para o programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

A Paradigma será responsável pelo desenvolvimento da interface gráfica de uma solução que permite calcular políticas de operação considerando um horizonte de longo-prazo e que pode ser utilizada na tomada de decisão do despacho hidrotérmico e para estudos de longo-prazo.

Direcionado para a linha de pesquisa em Planejamento da Operação, o foco do projeto é investigar soluções para problemas associados ao despacho hidrotérmico e estimular o desenvolvimento de novos modelos para suprimento do mercado consumidor de energia com o menor custo possível.

Para dar andamento ao programa, a Aneel abriu um convênio de empresas interessadas em participar, no que a Tractebel entrou como coordenadora de um grupo que inclui outras 17 companhias, entre elas AES Tietê, CPFL e Light Energia.

O LabPlan, vinculado ao Departamento de Engenharia Elétrica da UFSC, é o executor do projeto, responsável pelo desenvolvimento técnico e acompanhamento dos trabalhos dos parceiros - como é o caso da Paradigma no desenvolvimento da interface.
 
Leandro César Xavier de Carvalho, responsável pela gestão técnica do projeto da Tractebel,  explica que a escolha da Paradigma se deu pela experiência da empresa no setor elétrico, especialmente no desenvolvimento de soluções para comercialização de energia.

“A empresa apresentou um projeto versátil e com elementos diferenciais, cumprindo todas as exigências do projeto, como orçamento, resultados esperados, prazos etc”, afirma o gestor. “Entre esses diferenciais está o fornecimento de profissionais para trabalhar diretamente com a Universidade para aumentar a produtividade e evitar atrasos”, completa.

A primeira fase do projeto teve início em maio e levou um pouco mais de um mês para ser finalizada.

No primeiro momento, foi realizado um levantamento de dados como modelagem das usinas e linhas de geração, mapeamento de todo o sistema eletroenergético do Brasil e captação de dados de consumo.

Também foi definido todo o planejamento gráfico, layout e quantidade das telas necessárias para iniciar a implantação do programa.

Na segunda fase, já iniciada, será feita a implementação da interface gráfica, que auxiliará os usuários a visualizar, editar e adicionar informações na base de dados gerada pelo programa desenvolvido pelo LabPlan para reunir todos os dados da pesquisa e processar as informações.

A projeção é que a interface gráfica esteja concluída e funcionando até dezembro.

Os seis meses seguintes serão utilizados para finalizar o desenvolvimento do programa e ajustá-lo à nova plataforma.

“Em relação ao software, espera-se que uma versão final completa seja repassada para as empresas no início de maio de 2012, quando o projeto de P&D estará finalizado”, finaliza Carvalho.

Especializada em soluções para negociação e relacionamentos eletrônicos, a Paradigma atua nos setores público e privado.

A companhia ainda tem atuação no mercado de capitais brasileiro, atendendo a projetos como a BBM – Bolsa Brasileira de Mercadorias e o Tesouro Direto da BMF&Bovespa.

Com unidades em Florianópolis e São Paulo, a empresa atua em todo o território nacional e, através de parceiros no exterior, exporta para três continentes.

No setor elétrico, a Paradigma é responsável pelas plataformas utilizadas nos mega-leilões de energia que comercializaram mais de R$ 500 bilhões nos últimos cinco anos.