Helio Samora, diretor da PTC para América Latina

A PTC – Parametric Technology Corporation superou a barreira do bilhão de dólares no ano fiscal 2010 (em 30 de outubro) com faturamento global de US$ 1,01 bilhão, superando em 8% o obtido no exercício anterior.

Conforme Helio Samora, diretor da PTC para América Latina, só na região a empresa cresceu 30%.

"O desempenho no Brasil e nos demais países latino-americanos superou as expectativas tanto no que se refere à comercialização de soluções, quanto na conquista de novos clientes e aumento da rede de revendas", afirma Samora.

Em termos mundiais, os planos são de crescer 20% nos próximos cinco anos e alcançar, em 2014, faturamento da ordem de US$ 1,6 bilhão.

As metas foram anunciadas por James Heppelmann, novo presidente e CEO da PTC, empossado em outubro passado.

O executivo também anuncia um reposicionanmento da estratégia da companhia com base em quatro pilares.

O primeiro é crescer como um todo e aumentar a presença em novos mercados, principalmente no BRIC. O segundo, consolidar a liderança no segmento de PLM e redefinir o mercado de CAD.

O terceiro pilar é contribuir para que as revendas representem 40% do faturamento até 2015 (hoje a participação é de 25%).

"Já o quarto nível é ampliar o nível de previsibilidade do cliente, para que saiba exatamente o que esperar da companhia em termos de produtos e de faturamento", afirma Heppelmann.

Novos produtos
A PTC acabou de anunciar o CREO Design Software, nova família de soluções CAD que une as tecnologias de modelamento direto e paramétrico, com compatibilidade entre ambas, e cuja versão 1.0 deverá ser disponibilizada a partir de junho de 2011.

Segundo Samora, com essa iniciativa, a PTC irá redefinir um segmento que há mais de uma década "encontra-se estagnado, apresentando crescimento médio de 2 a 3 % ao ano".

Em grande parte, segundo o executivo, isso aconteceu devido à saturação do mercado e, principalmente, porque "não houve nenhuma inovação tecnológica significativa nos últimos 20 anos”.

Conforme Samora, a PTC foi responsável por algumas inovações do setor como o lançamento do modelamento paramétrico em 1985 e do Pro/Engineer em 1988.

"Fomos seguidos pelos concorrentes, feito que deverá se repetir agora com o Creo", afirma Samora. “Sem dúvida ele será o novo motor de crescimento da companhia na área de CAD”, completa.

A PTC também irá realinhar três soluções, cujos elementos foram usados na composição da nova plataforma, e que também ganharão novas denominações: o  Pro/Engineer, que passará a ser chamado de Creo Elements/Pro,  o CoCreate, de Creo Elements/Direct, e o ProductView, de Creo Elements/View.

PLM
No segmento PLM, o principal destaque será a versão 10.0 do Windchill, com previsão de lançamento entre janeiro e março de 2011.

A PTC investiu US$ 100 milhões no desenvolvimento da solução, que teve as interfaces remodeladas e ganhou novos módulos, entre os quais o Windchill PerfomanceLink, voltado para testes de conformidade ecológicos e de adesão às normas regulatórias.

Foram incluídas, ainda, novas ferramentas para processos de negócios e soluções para gestão de configuração.

A empresa também prevê lançar em junho de 2011 a versão 2.0 do Windchill ProductPoint e a versão “Freemium” correspondente, denominada Windchill ProductPoint Express, que poderá ser utilizada de forma gratuita, mas sem direito à manutenção nem acesso ao suporte da PTC.

Sediada nos EUA, a PTC emprega cerca de 5 mil profissionais no mundo todo, atendendo a mais de 55 mil clientes. No Brasil, a empresa está há 14 anos.