A receita total da SAP Brasil foi de € 444,2 milhões em 2011, uma alta de 9% em comparação com o ano anterior, sendo que o crescimento no quatro trimestre ficou em 2%.

 
A receita de SSRS (software e suporte), um indicador importante, apontam crescimento de 5% em relação ao ano anterior. A SAP Brasil não abre números além do resultado total.
 
Os resultados ficaram abaixo dos da corporação como um todo, na qual as vendas globais de software foram de € 3,97 bilhões, alta de 22%, chegando a € 1,74 bilhão no quarto trimestre, 16% a mais do que o mesmo período de 2010.
 
A diferença pode ter a ver com uma base inferior de comparação, uma vez que 2010 foi um ano de recessão nos  Europa e os Estados Unidos, os principais mercados da SAP em nível mundial, enquanto no Brasil a economia vem crescendo num ritmo contínuo.
 
Os números da corporação em nível mundial incluem o faturamento da Sybase, o que não acontece no caso do Brasil.
 
De qualquer maneira, os resultados parecem sinalizar dificuldades em manter o ritmo projetado para o país, onde a companhia divulgou no começo de 2010 planos de triplicar os negócios em cinco anos.
 
Um indicador positivo é que as contratações seguiram em alta, com o número de funcionários aumentando em 27% para 1.480 colaboradores.
 
Em nota divulgada à imprensa, a SAP destacou o crescimento em novos segmentos de mercado,  fora do ramo de sistemas de gestão para grandes empresas do setor de manufatura, no qual a companhia já detém o domínio do mercado.
 
Assim, a empresa cresceu em mais de 100% sua receita com serviços financeiros, setor que engloba bancos e seguradoras – os novos clientes incluem a Marítima Seguradora e o BRDE – além de altas de 68% na área de saúde e 56% em distribuição.
 
A empresa também apontou que 70% dos clientes da SAP Brasil são pequenas e médias empresas (PMEs), sendo pequenas para a SAP empresas com receitas anuais abaixo de US$ 100 milhões e médias US$ 300 milhões. 
 
“Nosso portfolio completo de soluções inovadoras para gestão de negócios atende a todos com o mesmo compromisso e qualidade”, afirma Luís César Verdi, presidente da SAP Brasil. 
 
A companhia não abriu a cifra em volume de faturamento, apenas em número de clientes.
 
O SAP Business One, solução para pequenas empresas ou filiais de grandes companhias comercializada exclusivamente pelos parceiros de negócios da SAP cresceu 31% no quarto trimestre, em relação ao mesmo período de 2010, e 16% em comparação ao ano anterior.