A desenvolvedora paulista Fingertips, que faz parte do Grupo Pontomobi, adquiriu a curitibana Monster Juice, numa tentativa de se fortalecer nos advergames (marketing com jogos eletrônicos).

Os valores da negociação não foram revelados, segundo o site TI Inside, que noticia a fusão.

Segundo o portal, a Monster Juice continuará operando em Curitiba, com seus dois sócios fundadores à frente da equipe: o programador Bruno Mikoski e o designer e ilustrador Rodrigo Bellão.

A meta é que a empresa produza 35 games nas plataformas Android e iOS até o fim do ano.

Desenvolvedora de aplicativos móveis, a Fingertips quer um faturamento de R$ 10 milhões até o final do ano – quatro vezes mais o resultado do ano passado.

A meta exclui a receita da Mobmídia, incorporada no fim de 2010 como moeda de troca para a entrada do Grupo.Mobi na sociedade da empresa.

Segundo o CEO da Matera, uma das acionistas da Fingertips junto com o GrupoPontomobi, Carlos Netto, patrocínios de Santander, Petrobras e Schin em seus produtos devem ajudar a chegar à cifra até dezembro.

Cada app da empresa para esses clientes custa entre R$ 100 mil e R$ 300 mil por ano.

Fingertips + Pontomobi e a RBS
Em fevereiro, a Pontomobi iniciou a associação com a Fingertips. A moeda de troca foi a MobMídia, que teve 70% comprado pela Pontomobi em 2009.

Com a sociedade, a Fingertips passou a integrar o grupo Pontomobi.

Atualmente, a Pontomobi tem quatro escritórios – em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife – e uma equipe de 86 profissionais especializados em mobile marketing.

Entre os clientes, a empresa tem Coca-Cola, Unilever, Grupo Pão de Açúcar, Ambev, Itaú, Volkswagen, Gol Linhas Aéreas, Nike, Positivo Informática.

Desde 2008, a empesa integra a plataforma multimídia do Grupo RBS, que iniciou com uma participação de 30%, ampliada para 60% no ano passado.