A Linx acaba de receber investimento da General Atlantic (GA), empresa de growth equity que nos últimos quatro anos investiu cerca de US$ 1 bilhão na América Latina, incluindo aportes de participação no MercadoLivre, BM&F Bovespa e Peixe Urbano.

O diretor presidente da Linx, Alberto Menache, não informa o valor do investimento, mas afirma que será destinado à expansão geográfica da empresa, especializada em software para varejo.

Além disso, o dinheiro também irá para a ampliação das ações de pesquisa e desenvolvimento da Linx, que projeta faturar R$ 200 milhões neste ano, uma alta de 38% frente aos resultados de 2010.

“A GA foi escolhida quando resolvemos buscar capital adicional para financiar nossa estratégia de crescimento orgânico e inorgânico”, explica o executivo. “Teremos na GA um parceiro estratégico na busca e identificação de novas tecnologias em escala global”, completa Nercio Fernandes, fundador e VP de P&D da Linx.

Conforme Menache, a nova parceria faz parte da estratégia de crescimento que a Linx já vem mantendo nos últimos anos, e que contou com outras ações, como as aquisições realizadas desde 2008.

Naquele ano, a empresa comprou a Quadrant. Depois disso, com aporte de recursos da BndesPar (braço de investimentos do Bndes), adquiriu a CSI, provedora de software de PDV para o varejo.

As próximas compras, ainda com aporte do Bndes, foram as da Inter Commerce, fornecedora software voltada aos ramos de material de construção e eletroeletrônicos; e da Formata, que oferece soluções par pequenas empresas.

Em dezembro de 2010, a Linx anunciou a aquisição da Dia System e CNP Engenharia de Sistemas, ambas fornecedoras de DMS (Dealer Management System), sistema de gestão de concessionárias de veículos.

Agora, em 2011, foi a vez da empresa comprar a software house gaúcha CustomBS, especialista em soluções integradas para o varejo.

“O BndesPar aprovou o exercício de direito de preferência no aumento de capital, o que demonstra e reforça a confiança na companhia”, comemora Menache.

Já Brett Rochkind, diretor e co-responsável pela área de Internet Global & Tecnologia da GA, define a Linx como um “investimento atraente” devido à “liderança de mercado da companhia, seu modelo de negócios baseado na recorrência de receitas e qualidade de sua equipe de gestão”.

Há 30 anos no mercado, a GA tem tradição em investimento em companhias de TI, segundo o executivo.

A carteira inclui companhias de software, serviços e e-commerce, como ServiceSource, IHS, Alibaba Group, Kaspersky Lab, Gilt Groupe, SSA Global, Priceline.com, Genpact, RiskMetrics, Zantaz, Altair Engeneering, Torex Retail, Privalia, LHS, Baan, Manugistics e Compuware, entre outras.

Anualmente, a GA investe aproximadamente US$ 2 bilhões em seis setores, com aportes como investidora minoritária ou majoritária em companhias públicas e privadas em crescimento, que variam entre US$ 25 milhões e US$ 500 milhões.
 
Já a Linx tem mais de 5 mil clientes e cerca de 52 mil PDVs usuários de seus softwares no Brasil, América Latina e Europa.

A companhia fechou 2010 com faturamento de R$ 144 milhões.