O Hospital Samaritano, de São Paulo, projeta reduzir em até 500 mil folhas por mês seu consumo de papel, depois da adoção da certificação digital.

Com investimento de R$ 400 mil e previsão de ROI para até 24 meses, o hospital adotou uma solução da Certisign.

O projeto foi realizado em parceria com a E-Val Tecnologia, que personalizou a oferta para implantação do certificado digital no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) da instituição.

“O sistema permitiu a integração de 2,5 mil colaboradores e médicos no uso da certificação digital. Hoje, a geração e armazenagem dos arquivos são eletrônicas, tudo com validade jurídica”, explica Enéas Faleiros, gerente médico do Hospital Samaritano.

Já o gerente executivo de TI do hospital, Klaiton Luís Ferretti Simão, explica que, para agilizar a adoção da ferramenta pelos profissionais, a instituição forneceu um certificado digital para cada um.

Segundo ele, o uso da certificação digital no prontuário do paciente é “fundamental” para assegurar que a informação registrada seja verdadeira, original (o papel impresso passa a ser a "cópia") e de autoria de quem a assina digitalmente.

“Temos meios que garantem que a informação ali gravada é imutável”, afirma Simão. “O médico não necessita mais imprimir e assinar cada documento gerado no sistema de gestão hospitalar, o Tasy”, completa Faleiros.

Klaiton detalha que a certificação digital é parte de um projeto de investimentos em TI que o hospital tem feito nos últimos anos.

“Hoje, o paciente já pode levar para casa o seu exame de imagem em um CD ou obter os resultados pela Internet, por exemplo”, destaca o gerente de TI.

Além disso, a instituição já adotou soluções para conformidade com as exigências do TISS (Troca de Informações em Saúde Suplementar), no que diz respeito à aplicação do PEP, entre outros investimentos.

Em 2010, o hospital contabilizou 4.959 pacientes atendidos por dia. Para Simão, um volume praticamente impensável sem a ajuda da TI.

“Esse processo de informatização tem contribuído para que o Samaritano receba, a cada três anos, a renovação da Acreditação da Joint Commission International (JCI) - mais importante órgão certificador de serviços de saúde no mundo”, finaliza ele.