Romulo Dornelles, diretor de Marketing da Ilegra

A Ilegra lança o serviço de Gerência de Configuração de Software (GCS), focada na padronização de ambientes de desenvolvimento de software.

Conforme o diretor de Marketing, Romulo Dornelles, a empresa gaúcha é a primeira a lançar esta solução no formato “pacote”: a Ilegra já trabalhava com o serviço, junto a outras demandas, há cerca de um ano, contando com três clientes, entre eles a londrina Thomson Reuters. Agora, a meta é dobrar o número de contratos ainda em 2010.

“O GCS promove a automatização de tarefas repetitivas, aumento da produtividade, possibilidade de colaboração da equipe, provimento de auditoria sobre mudanças, diminuição de erros e conflitos de sistemas, entre outros recursos e benefícios”, explica Dornelles.

Além disso, segundo o executivo, a solução também permite integração máxima entre as ferramentas de controle de versão, integração contínua e gerenciamento de bugs.

Manutenção de ambientes de desenvolvimento paralelos, compartilhados e distribuídos em diferentes locais, bem como integração do ferramental utilizado na construção de software, são outros benefícios oferecidos pelo novo serviço.

“Nossa proposta é tanto atuar em soluções customizadas à realidade e ao negócio do cliente, quanto moldar a processos já existentes”, destaca o diretor de Marketing da Ilegra, que projeta para este ano repetir o crescimento de 2009, que foi de 55%.

Para tanto, o GCS é uma das maiores apostas, reforçada pela oferta de um serviço de suporte, que consiste em esclarecimento de dúvidas acerca das ferramentas utilizadas pelo cliente.

“As demandas para o suporte são normalmente acerca de questões básicas, como troca de senhas e permissões de acesso a repositórios”, destaca Giuliano Ribeiro, gerente de Configuração da companhia porto-alegrense. “Percebemos que as empresas preferem não tomar para si essa responsabilidade, mantendo um contato direto com o fornecedor”, acrescenta.

O público-alvo da nova oferta é vasto: conforme Dornelles, são clientes em potencial empresas de qualquer segmento que possuam uma área de desenvolvimento de software e que requeiram níveis de governança que incluam, entre outras exigências, suítes de gerência de configuração.

“Estamos aptos a oferecer uma solução que fornece informações comumente solicitadas pelas auditorias, principalmente, nas companhias de capital aberto”, destaca o diretor de Marketing.

Ainda segundo o executivo, a Ilegra conta com uma equipe de colaboradores exclusivamente dedicados à nova área, todos com formação em desenvolvimento de software, processos, infraestrutura e domínio das áreas de controle de versão, integração contínua, scripts e sistemas operacionais.
 
Foco externo
A exemplo do que já acontece com a Thomson Reuters, o GCS é também uma das apostas da Ilegra para crescer no mercado exterior.

No ano passado, quando a empresa fechou com R$ 8 milhões de faturamento, os negócios fora do país representaram 22% da receita. Este ano, a meta é elevar este percentual para 30%.

Sediada na capital gaúcha, a Ilegra possui também uma filial em São Paulo, que hoje atende a 11 clientes ativos, representando 12% do faturamento total.

No total, a companhia atende a clientes de vários segmentos, como energia, agrobusiness, TI, transporte e logística, petroquímica e varejo, reunindo na carteira nomes como John Deere, MWM, TNT Mercúrio e Qualicorp.