A Rede Hospitalar Adventista adquiriu o software da gaúcha MV para administrar cinco hospitais no Rio de Janeiro, Pará, Amazonas, Mato Grosso e São Paulo, além de planos de saúde e clínicas que mantém em Curitiba e Porto Alegre.

Serão contemplados os hospitais Silvestre de Saúde (RJ), Belém (PA), Manaus (AM), Pênfigo (MT) e São Paulo (SP).

“Atualmente, tornou-se impossível administrar um hospital sem o auxilio de informações providas por sistemas para a tomada de decisão”, explica o pastor Marino de Oliveira, que administra a rede. “São entidades muito complexas de administrar pela diversidade e detalhes de todos os processos, tanto médicos, quanto laboratoriais”, completa.

Segundo o pastor, é imprescindível o uso de softwares de gestão como o fornecido pela MV para manter, por exemplo, o equilíbrio financeiro das instituições.

“É indispensável ter informações online exatas para estabelecermos custos e preços de todos os serviços”, ressalta Oliveira.

Na rede, aproximadamente 1,2 mil usuários utilizarão a solução MV, cuja implantação está prevista para começar no segundo semestre, com conclusão ainda este ano.

A Rede Hospitalar Adventista possui 500 leitos, uma média diária de 350 pacientes internados, 10,5 mil atendimentos/mês e um movimento de pacientes, familiares e fornecedores equivalente a 12 mil pessoas diariamente.

Mantida pela Igreja Adventista do Sétimo Dia desde a sua criação, em 1863, a estrutura de instituições de saúde conta, ainda, com faculdades de enfermagem e medicina, centros de palestras e cursos, programas de saúde comunitária e fábricas de alimentos.

A MV é, segundo dados próprios, a sexta maior empresa de software do país.

Com sede em Porto Alegre, a companhia especializada em sistemas de gestão de saúde também mantém fábricas de software em Passo Fundo e Recife, além de unidades em Belo Horizonte, Fortaleza, Vitória, Rio de Janeiro e São Paulo.

No ano passado, a empresa expandiu sua carteira de clientes em 60 novos contratos, passando sua base de ativos para 500 nomes, o que traduzido em usuários passa dos 200 mil profissionais e totaliza um grupo que passa dos R$ 10 bilhões em faturamento/ano.

Também em 2010, a empresa gaúcha ampliou o faturamento em 20% sobre os cerca de R$ 70 milhões obtidos em 2009, apostando no lançamento de soluções como o Soul MV, ferramenta para a área médica 100% web que resultou de R$ 20 milhões em investimento e dois anos de desenvolvimento, envolvendo trabalho de 200 pessoas, entre elas especialistas de Portugal e Inglaterra.

Já este ano, quando pretende crescer 50%, a MV acaba de fazer um lançamento conjunto com a Honeywell.

A companhia homologou um dos PDAs da divisão Honeywell Scanning & Mobility, o Dolphin 9700hc.

O equipamento, projetado especificamente para a área de saúde, é componente de uma solução da MV destinada à administração de medicamentos em clínicas e hospitais e automatiza a administração e prescrição de remédios, eliminando margens de erro.

O portfólio da MV conta, ainda, com soluções como o Sistema de Orçamento, Prontuário Eletrônico do Paciente, MV2000i, MV Portal e MV Custos.

Outra oferta da empresa é o Sistema de Classificação de Risco, certificado para o uso do Protocolo de Manchester, que ordena o atendimento dos pacientes nos prontos-socorros de acordo com o quadro de saúde de cada um e o Sistema de Gestão de Fluxo, para gestão do atendimento de pacientes.