Foto: Divulgação

A Microsoft baixou o preço do seu pacote de programas na nuvem Office 365 em 20%.

O corte é visto como uma tentativa de aumentar as chances no mercado corporativo contra o Google Apps, segundo analistas.

Para Matthew Cain, do Gartner, está claro que a empresa está respondendo ao sucesso da Google.

“O Google Apps para empresas está com crescimento expressivo no setor corporativo, e a Microsoft está fazendo tudo o que pode para prevenir futuras incursões”, afirmou.

A própria Microsoft afirma que o custo para executar o pacote, caiu e que esse corte de preço já havia sido anunciado, como uma forma de “estender” a economia aos consumidores.

A decisão a respeito da diminuição dos preços surgiu pouco tempo depois da Microsoft anunciar que começou a construir um novo data center de US$ 130 milhões em Dublin, para atender serviços de nuvem de sua base de consumidores europeus.

Segundo o Google, mais de 4 milhões de empresas estão utilizando o pacote, enquanto a Microsoft contabiliza entre 3 milhões e 5 milhões de licenças vendidas do Office 365, diz o Computerworld.

O serviço da Google ganhou alguns clientes grandes e muito conhecidos, incluindo a cidade de Los Angeles [menos seu departamento de polícia, devido a preocupações com a segurança], a cidade de Pittsburgh e a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, em inglês).

A briga entre as empresas não é por qualquer troco.

Pesquisa da Forrester Research indica que o mercado de cloud computing passará de US$ 40,7 bilhões, em 2011, para US$ 241 bilhões em 2020.

Apontado como um dos mercados com grande espaço para crescimento, o Brasil recebeu a solução de cloud da MS chamada BPOS em junho de 2010, com 150 mil usuários na estreia, desempenho que levou a empresa a anunciar a criação de um centro de dados em território brasileiro.