Paulo Magnus, o presidente da MV

A MV, especializada em sistemas de gestão para saúde, adquiriu por valor não revelado as empresas Hospidata, HDS Assessoria e Serviços e HD Processamento, que compõem o porto-alegrense Grupo Hospidata.

A expectativa é que dentro de dois anos a solução da adquirida, que atende ao nicho de pequenas e médias instituições, represente 20% do faturamento da MV – que ainda não foi fechado para 2011, mas tem projeções em torno de R$ 126 milhões.

Conforme o presidente da MV, Paulo Magnus, a companhia já avaliava a Hospidata há cerca de dois anos como alternativa para entrar no SMB da saúde.

Com isso, ele se refere a hospitais, clínicas e outras instituições de menor porte, mas também à saúde pública de municípios com até 100 mil habitantes.

De cara, a compra já agrega à carteira da MV cerca de 200 clientes – que, segundo Magnus, não precisam temer qualquer mudança.

“A Hospidata vai manter sua operação independente”, comenta o executivo.

Além disso, o presidente garante que as soluções receberão incrementos da MV, mas nada que altere a característica de “preços acessíveis”.

“A Hospidata sempre foi referência de mercado: introduziu na área de saúde controles que antes só existiam na indústria e no setor bancário. Esta compra é um marco para nós”, ressalta Magnus.

A adquirida
No mercado há 35 anos, a Hospidata é especializada em sistemas de gestão e faturamento hospitalar, além de consultoria.

O portfólio inclui o Sistema Integrado de Gestão Hospitalar (SIGH), AmbSUS e Apac, para atendimento ambulatorial; Ciha, para prestação de informações ao SUS; AIH, para faturamento do SUS, e IPE, para atendimento a planos do IPE, entre outras soluções.

A carteira de clientes reúne nomes como Hospital de Tramandaí, Santa Casa de Caridade de Bagé, Divina Providência de Marituba e Hospital Nossa Senhora da Oliveira, de Vacaria, entre outros.

A compradora
A aquisição amplia uma base já formada por mais de 500 clientes nos setores público e privado do Brasil e exterior.

Traduzido em usuários, este universo ultrapassa os 200 mil profissionais, totalizando um grupo de instituições cujo faturamento, somado, passa dos R$ 10 bilhões por ano, destaca Magnus.

Fundada no Rio Grande do Sul, hoje a MV tem matriz em Porto Alegre e sede no Recife, em Pernambuco.

Além disso, mantém fábricas de software em Passo Fundo e na capital pernambucana, além de unidades em Belo Horizonte, Fortaleza, Vitória, Rio de Janeiro e São Paulo.