A gaúcha Vinícola Aurora, maior de seu setor no Brasil, segundo dados próprios, aposta na TI para embasar a conquista da ISO 22000 até 2012.

A certificação define requisitos de um sistema de gestão de segurança de fornecedores ligados a cadeia de alimentos e afins.

Para isso, é preciso atender a critérios rigorosos quanto ao rastreamento de todo o processo da cadeia de fornecimento: no caso da Aurora, desde o parreiral até a entrega do vinho pronto para consumo.

Rastreamento e controle que a vinícola gaúcha hoje delega ao Totvs, ERP que utiliza desde 1999, mas que, de lá para cá, já atualizou, integrou e incrementou diversas vezes, aplicando ao sistema boa parte de seus cerca de 0,25 a 0,5% de orçamento geral anual legados à TI.

“Há uma dificuldade, em nosso setor, de conseguir sistemas prontos, e um bom exemplo é esta solução de rastreamento da cadeia de fornecimento”, explica o gerente de Controladoria e TI da Aurora, Rui Ficagna. “Hoje usamos um módulo customizado de produção do Totvs, mas teremos de repensar uma ferramenta que rastreie desde o plantio da uva pelo produtor até nossa entrega do vinho ao cliente final”, completa.

Entretanto, ainda não há detalhes sobre se tal avanço do sistema continuará baseado em Totvs, se poderá haver participação de outros fornecedores no processo, ou se, ainda, a equipe de TI interna, formada por quatro pessoas, atuará no auxílio às customizações necessárias.

Outro plano para este ano, ainda com fornecedor em aberto, é a evolução do BI da companhia, sediada em Bento Gonçalves.

“Já usamos um software de business intelligence, mas precisamos de algo mais novo”, destaca Ficagna.

Também está prevista para 2011 uma migração para a nova versão do ERP Totvs, com base no módulo EMS 506, versão de sistema financeiro vinculado ao sistema de gestão da fornecedora.

Mais um projeto realizado sobre o ERP, trabalho a que a Aurora já anda bem adaptada: desde a adoção do software, já houve inovações como a adoção do Sped Fiscal, em 2009; e do Contábil, em 2010 – ano em que a companhia também migrou da solução de NF-e da Neogrid para o módulo TSS, da Totvs.

“Emitimos uma média de 4,5 mil a 5 mil notas eletrônicas mensais”, conta Ficagna. “Porém, o mês de novembro é, geralmente, nosso pico de vendas, e nessa época a emissão chega a variar entre 10 e 12 mil documentos por mês”, detalha.

A aposta no Totvs para tantas áreas se explica, segundo o gerente de TI da Aurora, pelos resultados obtidos com a ferramenta.

“O ERP nos propicia ter informações mais ágeis sob diversos ângulos, com inteligência de negócio, e diversas áreas se beneficiam da integração propiciada pela solução, que é usada por 120 usuários diretos de nossas áreas de faturamento, compras, recebimento, controle de fretes, finanças e RH, entre outros”, ressalta o executivo gaúcho.

Só no setor de estoque, por exemplo, a integração e controle propiciados pelo ERP reduziram custos, já que o monitoramento ininterrupto leva à aquisição “certeira” de itens, ou seja: não há compra desnecessária, com reposição somente quando algum artigo chega à quantidade considerada mínima para manutenção padrão.

Já para o analista de Sistemas e Suporte da TI da Aurora, Evandro Josende, a unificação entre os diversos setores da companhia é o benefício essencial.

“O sistema é tão intrinsecamente ligado ao dia-a-dia dos colaboradores que se tornou inerente aos processos”, destaca o analista. “Hoje podemos controlar desde a elaboração dos produtos até o consumidor final, mas com os projetos em andamento este controle se estenderá ainda mais, chegando às videiras”, finaliza.

Com faturamento anual médio de R$ 200 milhões, a Aurora produz na casa dos 40 milhões de litros de vinho por ano, sem levar em conta os demais produtos do portfólio: coolers, sucos, espumantes, filtrados e destilados.

A produção é vendida para o mercado interno e externo.

Além disso, a empresa de Bento Gonçalves conta com mais de 1,1 mil famílias cooperadas, produtoras de uvas que geram a entrega, na vinícola, de cerca de 50 milhões de quilos da fruta por ano.