Copel vai de Nokia na banda extra larga

01/03/2011 11:28

A Copel fechou contrato com a Nokia Siemens Networks para equipar sua rede de fibra ótica que vai fomentar a oferta de Internet ultrarápida, nova aposta da companhia paranaense para crescer no segmento de telecomunicações.

A meta é oferecer banda larga com velocidade de transmissão de 100 Mbps a preços baixos.

Tamanho da fonte: -A+A

A Copel fechou contrato com a Nokia Siemens Networks para equipar sua rede de fibra ótica que vai fomentar a oferta de Internet ultrarápida, nova aposta da companhia paranaense para crescer no segmento de telecomunicações.

A meta é oferecer banda larga com velocidade de transmissão de 100 Mbps a preços baixos.

Para isso, o contrato de dois anos com a Nokia prevê o fornecimento da solução hiT 7300 Dense Wavelenght Division Multiplexing (DWDM), dotada de tecnologia Photonic Cross-Connect que, segundo a fabricante, reduz os custos de transporte de dados com garantia de escalabilidade da rede.

Também será usada a ferramenta de planejamento de rede ótica TransNet, para otimizar o rollout da rede.

“Isso vai diminuir significativamente os custos de operação e o custo total de propriedade (TCO)”, afirma Aray Chagas, head do CBT de Operações Locais na Nokia Siemens.

O contrato engloba, ainda, o Sistema de Gerenciamento de Rede de Telecomunicação (TNMS) e serviços complementares prestados pela Nokia, como instalação de redes, treinamento e suporte geral.

“No Brasil, a penetração da banda larga de linha fixa é de apenas 6%, abaixo da média da América Latina, que é de 11%. Para aumentar o alcance da banda larga e torná-la acessível, é crucial manter o preço baixo, especialmente nas áreas em que a oferta de rede é mais restrita”, destaca Antonio Carlos de Melo, engenheiro de Transmissão e Infraestrutura da Copel Comunicações.

Já Chagas complementa que a inovação na rede da Copel serve de exemplo para o mercado nacional, especialmente para players interessados em aproveitar as oportunidades a serem geradas pelo Plano Nacional de Banda Larga.

“A estratégia da Copel para oferecer serviços de dados a preços acessíveis sem perder em liquidez é mais um passo em direção à democratização do acesso à internet”, ressalta o executivo.

A Copel anunciou ainda no começo de fevereiro sua entrada no mercado de banda extra larga.

A empresa pretende trabalhar a oferta com base em sua estrutura própria de 17 mil quilômetros de fibra ótica.

Com investimento de R$ 100 milhões, destinado à interligação de repartições públicas estaduais e redes empresariais à rede da companhia, o projeto já começou a ser posto em prática em Curitiba.

A meta é tornar o Paraná o primeiro estado brasileiro com cobertura 100% digital de Internet em todos os municípios até 2014.

A infraestrutura de cabos a ser utilizada para prestação do novo serviço já está montada, e é hoje usada para serviços de telecomunicações das unidades da própria Copel em 240 das 399 cidades paranaenses.

Para atender ao plano de totalizar o acesso à banda extra larga digital no Paraná, a distribuidora de energia projeta iniciar pela interligação da estrutura geral de todas as cidades do estado por fibra ótica até o final de 2012 e, em mais dois anos, levar a elas a conexão de 100 Mbps.

O novo serviço já tem até nome: BEL-100.

O público alvo do novo nicho da Copel será, inicialmente, o corporativo, além do governo estadual. Depois, a previsão é ampliar o escopo para usuários residenciais.

Os preços, a Copel ainda não divulgou. A forma de cobrança a ser adotada, sim: será feita mediante o nível de consumo de dados do cliente, como ocorre com faturamento da energia, por exemplo.

PEBL
O plano de conectar 100% do Paraná em banda extra larga faz parte também da parceria da Copel com o Plano Estadual de Banda Larga, com o qual a estatal assumiu compromisso em agosto de 2010.

Conforme divulgado no site da estatal, o compromisso prevê a expansão, em três anos, da rede de transmissão de alta capacidade (backbone) e da rede de internet (backbone IP) da companhia a todas as cidades do estado.

O PEBL prevê a venda de serviços de comunicação a provedores e prefeituras cadastrados.

Estes, em contrapartida, deverão assumir o compromisso de prover serviço popular de acesso à internet e disponibilizar acesso à web em suas instalações.

Para contar com serviços oferecidos por meio do PEBL, os usuários finais devem buscar contratos diretamente com os provedores de suas cidades.

Não é novidade
Não é de hoje que a Copel mira a banda larga: em agosto de 2010, executivos da Copel já haviam anunciado planos para início de atuação na banda larga.

Um grupo de representantes da distribuidora se reuniu com investidores da Bolsa de Valores de Nova York, na qual a estatal mantém ADRs (American Depositary Receipts) listadas desde Julho de 1997.

Conforme o diretor-presidente Ronald Ravedutti, a empresa vinha sendo procurada por investidores estrangeiros e este tipo de parceria seria uma das apostas para expandir os negócios, inclusive na Internet rápida via rede elétrica.

A empresa paranaense também assinou acordo semelhante com a AES Eletropaulo.

As parcerias fazem parte da meta da estatal de expandir sua infraestrutura de rede em 30% em todo o país dentro de dois anos.

Veja também

Copel: energia na banda larga

A Copel anunciou na segunda-feira, 14, que vai entrar no mercado de banda extra larga na internet, com velocidade de transmissão de 100 Mbps, baseada em estrutura própria de 17 mil quilômetros de fibra ótica.

Com investimento de R$ 100 milhões, que será destinado à interligação de repartições públicas estaduais e redes empresariais à atual rede da companhia, o projeto começa ainda nesta terça-feira, 15, por Curitiba.

Lucro da Copel cresce 11% no 3T10

O lucro líquido da Copel no terceiro trimestre deste ano atingiu R$ 316,2 milhões, crescimento de 11,2% sobre o mesmo período de 2009.

O resultado é decorrência, basicamente, do crescimento do mercado consumidor de energia elétrica na região atendida pela companhia, formada por 393 dos 399 municípios paranaenses, que no intervalo de um ano avançou 7%.

Copel mira TIC e busca investidores em NY

Executivos da Copel (Companhia Paranaense de Energia) se reuniram na segunda-feira, 23, com investidores da Bolsa de Valores de Nova York. A meta foi chamar a atenção de interessados em participar dos projetos de ampliação dos negócios da empresa para fora do estado, muitos deles focados em tecnologia.

Copel: R$ 80 milhões em TI

A Copel investiu R$ 80 milhões em TI, dentro de um projeto dividido entre dois consórcios: um focado em ERP, no qual participaram as empresas SAP, Ingram Micro, Core Technologies e CSC e outro focado em billing, com a participação da Elucid e Ação Informática.

Nokia Siemens fecha com a Oi por US$ 1,55 bi

A Nokia Siemens Networks  firmou um contrato de US$ 1,55 bilhão para operar redes da Oi nos próximos cinco anos. Com isso, a companhia se torna a maior fornecedora de serviços de terceirização de rede de operadoras da América Latina, informa o JB Online.

O modelo de terceirização tem se tornado cada vez mais comum entre as empresas de telefonia, tanto pela redução de custos quanto pela otimização do suporte às infraestrutuas que acarreta.

Nokia terá GNOC no Brasil em janeiro

A Nokia Siemens Networks terá um centro global de operações de rede (GNOC, na sigla em inglês) em São Paulo.

O investimento, de 15 milhões de euros, foi anunciado nessa quarta-feira, 27, na Futurecom. A previsão é de que a operação se inicie em janeiro de 2011.

Novas fronteiras para a virtualização

A VMware quer levar a virtualização para novas fronteiras, disponibilizando a tecnologia para os usuários na palma da mão, criando múltiplos celulares em um aparelho, ou a um click, por meio de portais nos quais será possível escolher serviços virtualizados como num buffet a quilo.

Atos compra TI da Siemens

A Atos Origin comprou a Siemens IT Solutions and Services, fornecedora de soluções e serviços de TI da multinacional alemã, por € 850 milhões.

O acordo envolve a transferência de € 414 milhões em ações da Atos para a Siemens, que assim passa a deter 15% de participação na empresa holandesa de serviços de TI.

Nokia negocia compra da telecom da Motorola

A Nokia Siemens está em negociações para comprar a unidade de negócios de equipamentos de rede de telecom da Motorola.

Acesso à banda larga cresce 53% no BR

Levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) indica que o número de acessos à banda larga aumentou em 53% no Brasil entre janeiro de 2010 e o mesmo mês em 2011.

Foram 36,1 milhões de acessos à internet em alta velocidade registrados no último mês.

Segundo a Telebrasil, o total, que reúne o acesso fixo e móvel, equivale a 24 novas instalações por minuto no país nos últimos 12 meses.

Telebrasil: banda larga cresce 71% em 2010

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), o número de acessos à internet em banda larga registrou um crescimento de 71% em 2010.

A base de clientes de acessos fixos e móveis das prestadoras privadas atingiu 34,2 milhões assinantes, com 14,2 milhões de novas conexões no ano passado.

Brasil e Argentina: parceria em banda larga
Os governos do Brasil e da Argentina assinaram nesta segunda-feira, 31, em Buenos Aires, um plano de ação conjunta para cooperação bilateral.
 
O objetivo é massificar o acesso à internet em banda larga até 2015 nos dois países, por meio da melhoria na qualidade de conexão e ampliação da disponibilidade do serviço. 
 
Telebrás liberada para operar banda larga

A Anatel autorizou na quinta-feira, 20, a Telebrás, vinculada ao Ministério das Comunicações, a operar Internet banda larga até à última milha - ou seja, chegando ao consumidor final.