A sede da Telefónica em Madrid

Tamanho da fonte: -A+A

A Telefónica aumentou em 14%, para cerca de € 6,5 bilhões, sua oferta pela participação da Portugal Telecom na Vivo.

A proposta inicial da operadora espanhola, de  € 5,7 bilhões, foi rejeitada pela PT, o que desencadeou uma verdadeira guerra entre as duas empresas: a Telefónica, que tem 10% do capital acionário da PT e divide com a companhia portuguesa o controle da Vivo, passou a flertar com os acionistas da operadora lusitana, além de propor mudanças no comando da empresa e ameaçar com oferta hostil, caso a compra não fosse aceita.

Mesmo com todas as tentativas, a Portugal Telecom não arredou pé, chegando a buscar – e conseguir - apoio do premier português contra a Telefónica. Além disso, a PT iniciou conversações com a Claro para vender parte de suas ações à operadora mexicana, em uma tentativa de conter os esforços da Telefónica – que, se comprar a Vivo, se tornará a principal concorrente da Claro no mercado brasileiro.

Agora, segundo fontes da Reuters, a PT convocou reunião extraordinária para discutir a nova oferta da Telefónica. A expectativa é de que o conselho convoque assembleia de acionistas para discutir a proposta.