Pouco menos de um mês de ser processada por quebra de patente pela Motorola, a Apple dá o troco.

A empresa de Steve Jobs entrou com uma ação contra a rival alegando que a fabricante quebrou três patentes do iPhone. Entre elas, a tela sensível ao toque.

"As violações da Motorola causaram e continuarão causando danos irreparáveis à Apple, para os quais não há solução adequada legalmente, a menos que as atividades ilícitas sejam averiguadas", afirmou a Apple em documento enviado na sexta-feira a um tribunal distrital dos Estados Unidos.

A Motorola, por sua vez, disse não ter analisado o documento, mas que pretende "prosseguir com os processos judiciais para impedir a contínua violação da Apple".

"A Motorola possui um portfólio de propriedade intelectual líder de mercado, um dos mais fortes da indústria, e pretendemos nos defender vigorosamente quanto a essa questão", afirmou a empresa em nota à Reuters.

Segundo o jornal Wall Street Journal (WSJ), a batalha por patentes opõe dois dos players fortes no mercado de celulares. A Apple, que tem no iPhone 46% dos seus resultados de vendas, e a Motorola, a fabricante de celulares com a plataforma Android que mais rapidamente vendeu aparelhos com o sistema operacional do Google.

No início de outubro, a Motorola processou a Apple por quebra de 18 patentes.

Vendas de celulares Android aumentaram a renda da divisão mobile da Motorola em 20% no último trimestre, com vendas de 3,8 milhões de aparelhos.

Para analistas, as recentes negociações para vendas do iPhone na operadora Verizon poderia afetar as vendas da Motorola nos Estados Unidos.