A prefeitura de Alvorada investiu R$ 1,95 milhão para levar internet gratuita a pelo menos 80% da população do município metropolitano.

Hoje em fase final de homologação, o serviço entra em operação na primeira semana de abril.

Usuários que tenham um computador com placa Wi-Fi, ou outro equipamento capaz de receber sinal wireless poderão acessar gratuitamente a rede, que deve oferecer 300 Kbps de velocidade.

Já quem não tem esse tipo de aparelho deverá adquirir um kit de conexão – cujo preço é estimado em R$ 100 pelos idealizadores – para usufruir do serviço.

“Isso é tudo que se gasta. O restante é com a prefeitura”, explica Cristiano Holstein, diretor geral de TI da cidade de Alvorada.

Fácil como Wi-Fi de aeroporto
O projeto é 100% sem fio, com cerca de 20 equipamentos de rádio, da marca Alvarium, implementados pela empresa catarinense Multivias.

A Multivias fará a manutenção e o suporte da infraestrutura por um ano. Já no caso do usuário, o projeto envolve uma capacitação de lojas de informática e prestadores de serviço da área na cidade, para que estejam habilitados a prestar o serviço de suporte, nesse caso pago, ao cidadão.

“Mas cabe ressaltar que a configuração é muito fácil. É como captar o Wi-Fi de um aeroporto”, diz Holstein.

Alvorada
Localizada na região metropolitana gaúcha, Alvorada tem, de acordo como IBGE, 195,6 mil habitantes e PIB per capita de R$ 5.150 – no Rio Grande do Sul, o PIB per capita é de PIB per capita, R$ 24,8 mil, segundo dados da Fundação de Economia e Estatística (FEE).

Esses fatores são suficientes para despertar a “timidez” das operadoras ao ofertarem serviços na cidade.

Segundo dados da Anatel, são 12,6 mil acessos na cidade – números de dezembro de 2011, os últimos disponíveis – oferecidos pela GVT e pela Brasil Telecom. A cobertura é de 6,4% da população.

“Quem é que vai esticar fibra ótica para ter três assinantes numa rua? Por isso achamos que o poder público deve cumprir com o papel de incluir digitalmente”, explica Holstein.

Holstein destaca que o programa de Internet Social, como é chamado o projeto, visa a modernizar a cidade como um todo.

Como parte do upgrade municipal, um data center está sendo construído, com 16 servidores Dell de diferentes capacidades. Todas as atividades da prefeitura, de documentos fiscais às imagens das câmeras de monitoramento, passarão por eles.

O data center entra em atividade já em março, no dia 16.

Lousas digitais também foram adquiridas para um projeto envolvendo a rede pública municipal de educação. Cada escola receberá uma, criando uma sala de aula de alta tecnologia.

Outros investimentos
Além dos quase R$ 2 milhões investidos em telecom, a prefeitura desembolsou recentemente mais R$ 521,6 mil para a modernização da administração tributária municipal. A contratada é a Sigcorp.

Segundo Holstein, a ideia é implementar a nota fiscal eletrônica e informatizar os procedimentos envolvendo o ISSQN do município.

Os sistemas informatizados entram em ação em abril.

“Queremos modernizar a cidade e prepará-la para o futuro”, encerra Holstein.