A demanda por fibra ótica deve ter um crescimento de 10% ao ano no Brasil até 2014 – chegando a 25 milhões de quilômetros de novos cabos em cinco anos – é a previsão da Furukawa.

Os motivos para a alta na demanda são grandes eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas, além dos planos do governo federal para a oferta de banda larga a preços mais acessíveis.

“Para oferecer qualidade de sinal sem perdas e satisfazer as novas exigências dos usuários, com ganho de competitividade, é preciso investir em fibra óptica”, diz o gerente de Engenharia da Furukawa, José Carlos Alcântara.

Na opinião do executivo, ao longo dos próximos anos os cabos ópticos deverão ocupar o lugar dos cabos de cobre nas vendas, que ainda são amplamente usados em telecom.

“Os pedidos por cabos de cobre à Furukawa ainda são grandes, mas o crescimento pode ser considerado pequeno”, observa.
 
A Furukawa prevê um mercado anual de 6 milhões de quilômetros de fibras em 2014, principalmente em função dos eventos, que demandarão investimentos em novos backbones e redes metropolitanas.

“Links de longa distância, expansões e novos datacenters, além da popularização da TV Digital, deverão embalar esse movimento”, prevê o Alcântara.