Marcos Mazoni

O presidente do Serpro, o gaúcho Marcos Mazoni, admitiu nesta quinta-feira, 03, que o CPD do Serpro, em São Paulo, opera no limite de seu sistema de energia elétrica.

A estrutura está em operação há 25 anos e, segundo Mazoni, neste período houve apenas serviços de manutenção e reparo, mas nenhuma troca.

Agora, o presidente garante que a substituição de componentes e sistemas necessários vai acontecer, contando com boa parte dos R$ 100 milhões previstos para investimento na estatal em 2011.

Em entrevista à rádio CBN, Mazoni informou que as falhas registradas nos últimos sete dias no Serpro foram determinadas por problemas em dois dos quatro sistemas de energia do CPD.

O presidente disse, ainda, que os dois sistemas que não apresentaram problemas com a variação elétrica não suportaram a demanda, o que nos dois últimos dias piorou, em função do início da entrega das declarações do Imposto de Renda Pessoa Física, gerando uma parada neste sistema na quarta-feira, 02.

Também na quarta-feira, a sobrecarga do CPD parou outros sites, como o do Detran-PR e do Siscomex.

Além de São Paulo, o Serpro também mantém CPDs em Brasília e no Rio de Janeiro, mas estes não foram afetados pelas falhas dos últimos dias.

Segundo Mazoni, as falhas da quarta-feira já foram completamente resolvidas e não deve haver novos problemas.

A parada no CPD paulista do Serpro e suas consequências foram matéria no Baguete Diário, que pode ser conferida pelo link abaixo.