Os Correios podem começar a prestar serviços de telefonia móvel no modelo MVNO (operadora virtual móvel). A afirmação é do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Segundo Bernardo, a MP 532, publicada no Diário Oficial na última sexta-feira, 29, abre essa possibilidade à empresa, e envolveria as concessionárias.

“Os Correios não têm rede própria, então comprariam o direito de usar redes ociosas das operadoras”, disse o ministro.

Para o ministro, os Correios teriam vantagens competitivas, pois venderiam créditos por preços mais baixos, inclusive em locais em que as empresas de telefonia tem menor presença. A empresa tem mais de 12,5 mil agências, espalhadas por todos os municípios do país.

A revisão no estatuto dos Correios, diz Bernardo, se deve à modernização da estatal.

“A partir de agora, teremos mais alternativas legais de ação, com a possibilidade de adquirir participação societária em empresas”, disse.

A Medida Provisória deixa aberta a possibilidade dos Correios criarem também um banco.

Um estudo elaborado pela consultoria Europraxis indica que o Brasil deverá ter de dez a 15 milhões de usuários de operadoras móveis virtuais, as chamadas MVNOs, até 2015. A consultoria avalia que o mercado desta modalidade responderá, em quatro anos, por um faturamento de até R$ 3,5 bilhões.

Aprovado pela Anatel em novembro de 2010, o modelo de MVNOs permite que companhias de diferentes segmentos firmem parcerias com operadoras de celular tradicionais e passem a também oferecer serviço móvel.