A falta de iPhone no mercado brasileiro estão sendo provocadas pela própria Apple, indica matéria da Folha de S. Paulo. Segundo o jornal, a fabricante está entregando metade das encomendas fechadas com as operadoras.

Além disso, as entregas estariam atrasadas. A fabricante não quis comentar o assunto.

As vendas de Natal, no entanto, estão seguras. Segundo o jornal, um novo carregamento de iPhones contendo as quantidades adequadas à demanda do mercado.

Uma das justificativas para os atrasos e descumprimentos de encomendas seria um ritmo de venda acima do projetado pela Apple e que estaria levando a chinesa Foxconn, que fabrica os iPhones para ela, a ultrapassar sua capacidade de produção.

Segundo o jornal O Globo, as operadoras de telefonia móvel - Vivo, Claro, TIM e Oi - admitem que estão sem o smartphone da americana Apple no seu estoque nas principais cidades do país.

Algumas delas nem aceitam mais candidatos ao cadastro.

No país, o aparelho custa entre R$ 1.200 e R$ 2.159, dependendo do plano.

Estima-se que a Apple já tenha vendido mais de 500 mil unidades de iPhone no Brasil desde o lançamento do aparelho, no terceiro trimestre de 2008, com base nos dados da consultoria Gartner.

Por mês, desde o início de 2009, a Apple vende 30 mil unidades, em média.

No mundo, o iPhone vendeu 14,1 milhões de unidades no terceiro trimestre deste ano - alta de 91% em relação ao mesmo período de 2009.

Com isso, superou a rival BlackBerry, que comercializou 12,4 milhões de celulares, em um avanço de 46%, segundo a Strategy Analytics.