A TIM encerrou o terceiro trimestre do ano com faturamento de R$ 4,4 bilhões, alta de 18,9%. No período, a operadora mais que dobrou o lucro, para R$ 317 milhões.

Segundo a empresa, o crescimento na participação dos smartphones em sua base ajudou a impulsionar a receita com serviços, que chegou a R$ 834 milhões. No ano, os celulares inteligentes chegaram a 19,5% do total de aparelhos.

A base de assinantes subiu 26,2%, chegando a 59,2 milhões de usuários.

Com isso, a TIM se consolidou como segunda maior operadora, atrás apenas da Vivo. Luca Luciani, presidente da TIM, relata o jornal Folha de S. Paulo, atribuiu o resultado à combinação de estabilidade de estratégia e corte de custos, principalmente com subsídio a aparelhos.

Luciani disse ainda que não sabe se a TIM participará do leilão das licenças 4G, previsto para abril.

A empresa acredita que a adoção de celulares encarece o serviço para os usuários e compromete investimentos das operadoras. em outras áreas.