Marcia Schüler

A prefeitura de Novo Hamburgo vai conectar todos os seus pontos de presença nos próximos 18 meses, ampliando de 30 para 170 os setores interligados.

Para isso, o município vai completar o anel ótico da cidade construindo um novo trecho de 23 quilômetros.

Capitaneado pela Secretaria de Tecnologia da Informação e Inclusão Digital de Novo Hamburgo, o projeto se valerá de um aporte de R$ 6 milhões, obtidos pela secretaria da Saúde através do projeto Cidades Digitais, do governo federal.

O poder municipal fará contrapartida de R$ 600 mil.

Segundo Marcia Schüler, titular da TI,  tudo será feito com a tecnologia GPON, que permite transmissão de dados com conexões de até 2,5 gigabytes por segundo.

“No início, até pensamos em usar mais rádio. Mas a fibra barateou muito desde que começamos a pensar o projeto, há dois anos. Os equipamentos estão mais acessíveis”, diz a secretária.

Escolas, unidades de saúde da família, almoxarifados e o hospital serão interligados com o projeto.

A ideia é conectar inclusive as unidades na área rural hamburguense, como diz a secretária: “A não ser que inaugurem coisas novas, vamos conectar tudo!”, comemora Schüler.

TI em alta
Outros R$ 3 milhões também já estão garantidos à secretaria da Educação, junto ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Parte do recurso será usado pela secretaria de TI para conectar à internet 10 novas escolas que entrarão no programa Um Computador por Aluno.

Ainda que sejam projetos de outras pastas, sem investimento próprio da Informática, o ativo será administrado pela secretaria de TI, como já vem ocorrendo em função de outros investimentos da prefeitura na área.

Schüler atribui as altas no orçamento – que era de R$ 2,6 milhões em 2010, subiu para R$ 3,9 milhões no ano passado, e inicia 2012 com R$ 5,2 milhões (30% de alta sobre o ano anterior) – às implementações já existentes.

Fora a infraestrutura de TI, a secretaria já chefiou implementações de sistemas de gestão municipal, incluindo um ERP, todos buscados no mercado.

O resultado é uma equipe maior desde a criação da pasta em janeiro de 2010, passando de 34 para 45 funcionários. Hoje, a pasta cuida de mais de 60 sistemas aplicativos, um parque de 1,5 mil computadores e mais de 70 servidores.

Tudo para manter o grosso do investimento que chega de outras pastas, mas somam para a TI do município. Somente os projetos da Saúde e da Educação (R$ 9 milhões) quase dobram o orçamento da Informática para 2012.

 Desde 2009, foram R$ 8 milhões investidos diretamente em TI, somadas as fatias detinadas a àrea dos projetos de todas as pastas.

NFS-e na mira
Também entra na agenda para 2012 a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NFS-e). A secretária revela que a secretaria está em discussão com a Procempa (de Porto Alegre) e a mineira Prodabel para implementação da solução livre desenvolvida em Belo Horizonte para a fiscalização.

As duas empresas de processamento de dados já firmaram convênio para a capital gaúcha, afirmando que estariam à disposição de outros municípios gaúchos.

Uma das vantagens da solução da Prodabel é já ser homologado pela Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais (Abrasf), responsável pelo padrão nas capitais brasileiras.

“Queremos implantar para ontem”, brinca Schüler, que já passou pela direção da Celepar e pela TI da Fazenda nos mandados de Olívio Dutra, Tarso Genro e Raul Pont.