A catarinense Dígitro Tecnologia lança um sistema de biometria de voz, focado na identificação de indivíduos a partir das características vocais e hábitos de locução.

Empregado originalmente em plataformas de inteligência da Dígitro - entre elas a solução Guardião, que equipa sistemas de inteligência e investigação policial em todo o país - a biometria vocal poderá ser empregada também em aplicações de reconhecimento e controle de acesso a dados e serviços das soluções de redes e TI desenvolvidas pela empresa.

A empresa financia, desde 1996, pesquisas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sobre tecnologia biométrica, focadas em sistemas de reconhecimento de fala aplicáveis ao acionamento de comandos diversos.

Só nos últimos três anos, foram cerca de R$ 2,2 milhões aplicados aos laboratórios de fonética aplicada da empresa e em tecnologias como conversão de texto em fala e vice-versa.

“Este tipo de aplicação une a praticidade à alta segurança, o que habilita a homologação das nossas soluções de voz para a utilização em sistemas críticos como operações financeiras por voz ou o acesso a dados confidenciais de empresas”, assinala Geraldo Faraco, presidente da Dígitro.  

O executivo explica que diferente de outros sistemas biométricos, como leitura de íris, de impressão digital ou mapeamento das veias da mão, comumente utilizados, a biometria de voz tem a vantagem de dispensar a presença física do indivíduo no local.

O sistema permite colher o sinal vocal à distância, através de ligação telefônica.

“Com isto, o método de identificação é ideal para aplicações em sistemas que usam o comando de operações via URA (unidades de resposta audível) ou em soluções de investigação, como é o caso dos sistemas que tradicionalmente fornecemos para órgãos de segurança pública”, detalha Faraco.

Há mais de 30 anos no mercado de telecomunicações, a Dígitro traz no histórico a criação de sistemas como o Teledespertador e a plataforma de Comunicação CT (Computer & Telephony), que integra telefone e computador em uma só máquina.

O portfólio de soluções agrega, ainda, serviços de Infraestrutura de TI e aplicações de inteligência corporativa e investigativa.

Com isso, a companhia atende a clientes de nichos variados, indo desde empresas privadas e operadoras de telefonia até instituições e órgãos governamentais. Hoje, o Sistema Guardião, que a empresa fornece a agências de segurança pública, é usado não somente no combate ao crime organizado no Brasil, mas também em outros países.

Sediada em Santa Catarina, a empresa está presente em 11 países da América Latina e África.