Modens e outros equipamentos tiveram um salto na importações no Brasil

Tamanho da fonte: -A+A

Dados divulgados pela Abinee nessa terça-feira, 05, apontam um avanço acelerado nas importações de produtos voltados para o mercado de telecomunicações no primeiro bimestre de 2011.

Conforme a associação, os modens para oferta de banda larga, por exemplo, tiveram alta de 220%.

No acumulado de janeiro e fevereiro de 2011, as importações do setor de eletrônicos somaram US$ 5,6 bilhões, resultado 21,6% superior ao ocorrido no mesmo período do ano passado, com incremento em todas as áreas.

De acordo com a entidade, as maiores taxas foram das compras externas de bens de Telecomunicações (+52,3%), Utilidades Domésticas (+48,6%) e GTD (+46,3%).

No embalo da telefonia
Além dos modens, na área de Telecomunicações verificaram-se outros crescimentos expressivos, como equipamentos de comunicação sem fio (+377%), telefones celulares (+88%) e aparelhos de radiodifusão (+69%).

Segundo a consultoria Teleco, o Brasil terminou fevereiro de 2011 com 22,0 milhões de celulares 3G, sendo 17,4 milhões aparelhos WCDMA e 4,6 milhões de terminais de dados 3G (10,6% dos celulares do Brasil são 3G).

Das adições líquidas de acessos 3G no mês, 172 mil foram por modems 3G, diz a Teleco.

Entre o fevereiro de 2010 e desse ano, a alta no total de acesso da banda larga foi de 80%, segundo a Anatel - considerando todos os terminais de acesso.

No caso dos celulares em geral, o crescimento foi de 1,18% na comparação anual, com o maior patamar em números absolutos para o mês de fevereiro sendo obtido nesse ano, quando foram registrados 2.415.235 acessos móveis no mercado brasileiro.

Importações de celulares crescem 70%
As áreas de Utilidades Domésticas (+48,2%) e Telecomunicações (+45,3%) registraram as maiores taxas de incremento.

No caso de Telecom, observa a Abinee, os principais destaques do bimestre foram das importações de telefones celulares (+70%) e de aparelhos de radiodifusão (+60%).

As importações de Componentes Elétricos e Eletrônicos totalizaram US$ 2,9 bilhões, representando 52% do total do setor. Entre seus itens estão os produtos mais importados do setor: semicondutores (US$ 722 milhões), componentes para telecomunicações (US$ 693 milhões) e componentes para informática (US$ 428 milhões).

Com as as importações chegando a US$ 5,59 bilhões, e as exportações somando US$ 1,05 bilhão, o déficit da balança comercial de produtos eletroeletrônicos, no período acumulado de janeiro-fevereiro de 2011, atingiu de US$ 4,54 bilhões.

O resultado foi 25% superior ao registrado em igual período de 2010 (US$ 3,63 bilhões).

Leia o relatório da Abinee nos links relacionados abaixo.